Primeiro dia da ExpoAmazônia Bio&Tic conta com a presença de empresários do ramo de tecnologia, inovação e sustentabilidade

Ívina Garcia – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com a presença de empresários e profissionais do segmento de tecnologia, inovação e sustentabilidade, o primeiro dia de ExpoAmazônia Bio&Tic foi realizado no Auditório Vasco Vasques, na Zona Centro-Sul de Manaus. Segundo a organização do evento, é esperado um público de 15 a 20 mil pessoas em cada dia e o investimento de pelo menos R$ 20 milhões em negócios.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Angelus Cruz Figueira, que esteve presente no evento, o manejo florestal tem sido a prioridade do Governo do Amazonas e a economia verde é a chave para o desenvolvimento do Estado que, atualmente, possui R$ 33 milhões de reserva estadual para a economia verde.

“O governo está empenhado em fazer isso, de manter a floresta em pé, mas de gerar viabilidade, gerar perspectiva para o homem que está no interior. Então, esse é um dos caminhos”, afirmou.

O evento também conta com stands da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas no Amazonas (Sebrae-AM), Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e outros que buscam demonstrar o trabalho tecnológico e ambiental desenvolvido pelas entidades governamentais e federais.

“É sempre muito bom poder mostrar ao público as tecnologias que a gente tem, porque às vezes você tem a tecnologia, mas se você não divulga, as pessoas não conhecem. Então, ter essa oportunidade de mostrar aqui no evento é muito legal, para as pessoas verem como realmente aqui no Brasil tem tecnologia de ponta também”, afirma Marcus Lima, CEO da Acta Robotics, empresa especializada no desenvolvimento de robôs autônomos e inteligência artificial. A Acta levou ao evento, em parceria com o Instituto SiDi, o KappaBot, promoter de promoções e eventos.

“A nossa expectativa é que nos tornemos conhecidos pelas empresas da região, pela sociedade manauara, pelas indústrias que queiram desenvolver projetos conosco”, comenta Carlos Fonseca, gerente executivo do SiDi, presente no Amazonas desde setembro de 2021 e que já conta com uma equipe de 70 desenvolvedores e diversos projetos com empresas lotadas na Zona Franca de Manaus.

A Acta levou ao evento, em parceria com o Instituto SiDi, o KappaBot (Jander Souza/CENARIUM)

Cenarium presente

Unindo inovação, meio ambiente e comunicação, o Grupo Cenarium participa com um stand na exposição. O espaço conta com a divulgação de exemplares da revista física. O grupo apresenta também as novidades do jornalismo na Amazônia por meio dos produtos da TV Cenarium e Amazon Agency.

“É satisfatório para toda a equipe do Grupo Cenarium fazer parte deste evento como aliada das pautas ambientais, defensora do contexto de inovação e divulgadora da economia tecnológica na Amazônia”, declara a diretora do Grupo Cenarium, Paula Litaiff.

Grupo Cenarium está com stand no evento (Jander Souza/CENARIUM)

Expositores

Além de exposições de tecnologia de informação e comunicação, o evento também teve expositores voltados para a bioeconomia da Amazônia, como é o caso do Instituto Piagaçu, focado na conservação participativa da biodiversidade da Amazônia e que atende pelo menos 38 comunidades ribeirinhas e indígenas, capacitando e orientando sobre o manejo florestal de 11 municípios do interior do Amazonas.

“Muitos de nossos agricultores estão em transição agroecológica, galgando a certificação orgânica que também permite que agreguem valor a seus produtos e que insiram eles em outros mercados, inclusive, mercados internacionais”, diz Amanda Cruz, tecnóloga em agroecologia do Instituto Piagaçu.

Instituto Piagaçu focado na conservação participativa da biodiversidade da Amazônia também esteve no evento (Jander Souza/CENARIUM)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO