Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações Folha de S. Paulo

SÃO PAULO – A princesa Latifa, filha do emir de Dubai, disse estar sendo mantida refém e temer por sua vida, em vídeos divulgados pela BBC. Latifa, 35, tentou fugir em 2018, mas foi capturada e, desde então, não havia dado declarações públicas.

“Estou em uma mansão. Estou sequestrada, e esta mansão se transformou em uma prisão”, disse a princesa, em um vídeo gravado com um celular no banheiro porque “é o único cômodo com uma porta que posso fechar”.

“Todas as janelas estão trancadas, há cinco policiais do lado de fora e duas mulheres policiais dentro. Me preocupo todos os dias com a minha segurança e minha vida. A polícia me disse que ficarei na prisão por toda a minha vida e que nunca voltarei a ver o sol”, continua.

Latifa, 35, tentou fugir em 2018, mas foi capturada e, desde então, não havia dado declarações públicas (Reprodução/ Internet)

Os vídeos foram exibidos na terça, pela BBC, que os obteve de amigos próximos da princesa. Contatadas pela agência de notícias AFP, as autoridades de Dubai não comentaram o caso.

Em 2018, Latifa Al-Maktoum anunciou em um vídeo divulgado no Youtube que gostaria de fugir de seu país. À beira das lágrimas, disse que havia sido torturada e presa por três anos pelo seu pai, Mohammed bin Rashid Al Maktoum, depois de uma primeira tentativa de fuga quando era adolescente, em 2002.

Esse primeiro vídeo foi publicado depois do fracasso da tentativa de 2018, quando o veleiro em que ela tentava fugir foi apreendido pela Marinha indiana. De acordo com a BBC, Latifa contou que foi dopada durante a captura do barco e só despertou em Dubai, onde está detida.

Emir

Mohammed Al Maktoum, 71, é o emir de Dubai e atual primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos. Pai de Latifa, ele é apontado como responsável por liderar as transformações que tornaram Dubai uma cidade de importância global. Esteve por trás da construção do edifício Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo, com 828 metros, e da criação da companhia aérea Emirates Airline, entre outros projetos.

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab, disse nesta quarta-feira, 17, que gostaria de ter provas de que a princesa Latifa está viva e com boa saúde. “Essas imagens são muito angustiantes. É um caso muito difícil e preocupante”, declarou o ministro à Sky News.

Na terça-feira, 16, uma porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos disse à BBC que questionará os Emirados Árabes Unidos sobre a princesa.

Sequestro

Em março de 2020, a Justiça britânica apontou que o emir de Dubai havia ordenado o sequestro de duas de suas filhas, Latifa e Shamsa. Com 18 anos, Shamsa tentou fugir em 2000, enquanto passava férias na Inglaterra. Segundo o relato de Latifa, a irmã foi encontrada depois de dois meses, drogada, levada de volta para Dubai e presa.

Em 2019, a princesa Haya, irmã do rei da Jordânia, refugiou-se em Londres, onde iniciou o processo de divórcio de Al Maktoum. Ela o acusa de violência de gênero. Haya era a sexta esposa do soberano de Dubai, com quem teve dois filhos, que estão com ela em Londres.