Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

O prêmio Nobel de Literatura 2020 foi concedido nesta quinta-feira, 8, à poetisa norte-americana Louise Glück “pela voz poética inconfundível que, com beleza austera, torna a existência individual universal”. Atualmente, ela também é professora de Inglês na Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Glück estreou na literatura em 1968 com o livro Firstborn (Primogênito, em tradução livre) e logo passou a ser aclamada como uma das poetisas mais proeminentes da literatura contemporânea norte-americana.

Dentre outros prêmios recebidos, ganhou um Pulitzer (maior prêmio do jornalismo) em 1993 e um National Book Award (um dos prêmios literários mais importantes dos EUA) em 2014.

Ela já publicou 12 coleções de poesias e alguns volumes de ensaios poéticos. Com as obras The triumph of Achilles (O triunfo de Aquiles, em tradução livre), de 1985, e Ararat, de 1990, Glück conquistou fãs nos EUA e em outros países.

O prêmio concedido à vencedora é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhão de dólares).

Louise Glück recebe homenagem de Barack Obama em 2015

Trajetória

De 1901 a 2019, foram entregues 112 prêmios Nobel de Literatura. Dentre eles, somente quatro foram divididos entre duas pessoas.

Até hoje, 16 mulheres receberam a honra nessa categoria. Antes de Glück, a última vez foi em 2018 (mas o prêmio acabou sendo entregue em 2019 devido a um escândalo na Fundação Nobel), quando a polonesa Olga Tokarczuk ganhou o prêmio “por uma imaginação narrativa que, com paixão enciclopédica, representa o cruzamento de fronteiras como uma forma de vida”.

O ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill já ganhou um prêmio Nobel. Apesar de muitos pensarem que foi o da Paz, na verdade ele ganhou um de Literatura, em 1953, “pelo domínio da descrição histórica e bibliográfica, bem como pela oratória brilhante na defesa dos valores humanos elevados”.

Em 2016, o cantor e compositor norte-americano Bob Dylan foi laureado “por ter criado novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música norte-americana”.

Dentre todos os 117 premiados, a maioria é do Reino Unido (29), França (15) e Alemanha (14).

(*) Com informação da CNN