Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da assessoria

MANAUS – Tudo começou quando o produtor audiovisual e fotógrafo João Lira conheceu o trabalho da Associação de Surdos de Manaus (Asman-Manaus), ao ser inserido e conhecer mais da comunidade surda, Lira sentiu a necessidade de transmitir o conhecimento de mais de oito anos como fotógrafo em Manaus, também para os surdos.

João, em seguida, escreveu um projeto no Edital Feliciano Lana – Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas e foi contemplado na categoria de Artes Visuais. A oficina terá tradução simultânea na Língua Brasileira de Sinais, com a presença de dois intérpretes.

João Lira, autor do projeto, pontuou o pioneirismo da iniciativa: “Poucas vezes a comunidade surda tem oportunidade nos cursos profissionalizantes oferecidos, ao passo que a maioria dos cursos não possuem intérprete para que eles possam se sentir à vontade de participar, essa será uma iniciativa pioneira e que sem dúvida servirá de inspiração para novas iniciativas com opções de acessibilidade.

A Lei Aldir Blanc foi um auxílio-financeiro ao setor cultural regulamentada em 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro. A iniciativa apoiou diversos profissionais da área que sofreram com impacto das medidas de distanciamento social por causa do coronavírus. 

Foram liberados R$ 3 bilhões para os Estados, municípios e o Distrito Federal destinados à manutenção de espaços culturais, pagamento de três parcelas de uma renda emergencial a trabalhadores do setor que tiveram suas atividades interrompidas e instrumentos como editais e chamadas públicas.

O secretário de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marco Apolo Diniz, ressaltou a importância da acessibilidade nas atividades culturais: “É muito importante que as pessoas com deficiência tenham, em condições de igualdade, cada vez mais acesso às diversas atividades e manifestações culturais do Estado. O acesso à cultura é um direito do cidadão e deve ser garantido e respeitado. A secretaria mantém uma assessoria específica para desenvolver ações de inclusão da pessoa com deficiência nos espaços que administra, para que tenham sempre uma boa experiência”, relatou Apolo.

A primeira edição do Olhar Curumim, que será voltada pra comunidade surda, ocorrerá nos dias 22 e 23 de maio de 2021, terão vagas para 30 alunos e será oferecido de forma gratuita no Casarão da Inovação Cassina, situado à rua Bernardo Ramos, 290, no Centro de Manaus, onde terá toda a infraestrutura para a ministração dos conteúdos e foi cedido pela Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação para a oficina, e a parte prática será na Praça Dom Pedro II, também no Centro de Manaus. Os interessados em fazer parte do projeto Olha Curumim devem enviar mensagem para Viviany Wagner (Asman-Manaus) no WhatsApp (92)99988-9582 ou via direct do Instagram no @joaolirafotografia.

Notas

Nos dias 22 e 23 de maio, o produtor audiovisual e empreendedor João Lira, oferecerá em parceria com a SEC e Semtepi, uma oficina de fotografia básica com acessibilidade aos deficientes auditivos, chamada Olhar Curumim, a oficina ocorrerá no recém-inaugurado Casarão Cassina no Centro de Manaus.