Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações do UOL

SÃO PAULO – O presidente do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022 no Qatar, Nasser Al-Khater, afirmou que torcedores LGBTQI+ terão o direito de viajar ao País e assistir aos jogos. Além disso, ele acrescentou dizendo que demonstrações de afeto estão mal-vistos tanto para o público hétero quanto ao público homossexual.

“Eles virão ao Qatar como torcedores e participantes de um torneio de futebol e poderão fazer o que qualquer outro ser humano faria. As demonstrações de afeto são desaprovadas e isso se aplica a todos”, disse o dirigente em entrevista à CNN.

“O Qatar e seus países vizinhos são muito mais conservadores e pedimos aos torcedores que o respeitem. Temos certeza que o farão, assim como respeitamos as diferentes culturas, esperamos que a nossa também seja”, acrescentou.

O jogador Josh Cavallo, australiano que em outubro se declarou abertamente gay, disse que tem medo de ir ao Qatar. Nasser Al-Khater foi questionado sobre o tema e disse que o australiano seria bem-vindo no País.

“Damos as boas-vindas e convidamos eles a conhecer o País antes da Copa. Ninguém se sente ameaçado aqui, acho que essa percepção de período se deve às múltiplas denúncias e notícias que dão um olhar negativo ao País”, afirmou.

Em muitos países islâmicos, como Arábia Saudita, Sudão, Somália e Irã, a homossexualidade é considerada um crime e é punida com a morte.