Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Sonhadores, talentosos e amantes da arte de cantar, assim são 11 jovens amazonenses que se reúnem para formar o grupo de canto Rainbow Vocals. Focados em representar a diversidade e a individualidade, o grupo tem como integrantes jovens entre 17 e 21 anos de idade e ex-alunos do Coral Infantil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

Com quase dois anos de existência e com estilo musical eclético, o grupo acredita que, nos tempos atuais, a música e o canto são formas de levar amor ao próximo. “Apesar de sermos bem jovens, acreditamos no potencial do canto e da música e que qualquer pessoa independentemente da cor, idade e estilo pode ser tocado com as músicas que cantamos”, explica Isaías Barbosa, um dos integrantes do grupo.

Crescendo

Mesmo em tempos de pandemia, os amigos cantores não desanimam e mantêm o foco nos ensaios para aprimorar as técnicas com intuito de ganhar cada vez mais espaço no cenário local. A turma já se apresentou em diversos eventos e lugares como a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Shoppings de Manaus com a participação de outros artistas locais.

Os ensaios são postados no Instagram Oficial do grupo @rainbowvocals (Reprodução/Instagram)

“São experiências importantes para nosso crescimento e amadurecimento profissional. Cada vez que nos apresentamos é como uma parte de nossas conquistas. Por causa da situação atual, quase não nos encontramos presencialmente, mas fazemos ensaios via Google Meet e é sempre uma alegria ensaiar, trocar ideias e descobrir algo novo”, conta Isaías.

Jovens

De acordo com Isaías, a próxima meta da equipe é produzir canções autorais, uma vez que o grupo possui também vários compositores. Enquanto isso, a playlist vai do Rock and Roll, Música Popular Brasileira ao Gospel.

Os integrantes são ex-alunos do Liceu de Artes Cláudio Santoro (Reprodução/Instagram)

Quando questionado sobre a iniciativa e a bandeira levantada por eles em relação à diversidade, o jovem cantor responde: “O nome escolhido para nosso grupo não é à toa. Nosso papel é ajudar as pessoas a verem que muitas vezes ser diferente não é ruim, e que isso não nos faz piores. É mostrar para elas que é em meio às diferenças que a igualdade nasce”, finaliza.