Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Comunidade LGBTQIA+ é sub representada na comunicação
FreePik
Comunidade LGBTQIA+ é sub representada na comunicação
Após serem penalizadas pela Comissão Europeia e pressões da União Europeia, três regiões da Polônia deixaram de se declarar como “zonas livres de ideologia LGBT”. Optaram pela decisão a Cracóvia e Rzeszow, ambas ao sul, e Lublin, no leste. Na semana passada, a área de Kielce, ao sul, também voltou atrás na decisão.

Leia também
Em visita à Hungria, Papa pede que bispos húngaros abracem a diversidade
LGBTfobia não é combatida, mas impulsionada no Brasil de Bolsonaro
iG lança produto que transforma cultural e economicamente relação com a saúde
Continua após a publicidade

Para reforçar a nova decisão, essas regiões afirmaram que são contra qualquer tipo de intolerância, reforçaram seus valores cristãos e o apoio à família tradicional na Polônia. Parlamentares de Rzeszow trocaram o texto e chegaram a afirmar que repugnam tentativa de ódio e discrminação por “gênero, idade, raça, deficiência, origem étnica, religião, crenças ou orientação sexual Comunidade LGBTQIA+ é sub representada na comunicação FreePik Comunidade LGBTQIA+ é sub representada na comunicação Após serem penalizadas pela Comissão Europeia e pressões da União Europeia, três regiões da Polônia deixaram de se declarar como “zonas livres de ideologia LGBT”. Optaram pela decisão a Cracóvia e Rzeszow, ambas ao sul, e Lublin, no leste. Na semana passada, a área de Kielce, ao sul, também voltou atrás na decisão. Leia também Em visita à Hungria, Papa pede que bispos húngaros abracem a diversidade LGBTfobia não é combatida, mas impulsionada no Brasil de Bolsonaro iG lança produto que transforma cultural e economicamente relação com a saúde Continua após a publicidade Para reforçar a nova decisão, essas regiões afirmaram que são contra qualquer tipo de intolerância, reforçaram seus valores cristãos e o apoio à família tradicional na Polônia. Parlamentares de Rzeszow trocaram o texto e chegaram a afirmar que repugnam tentativa de ódio e discrminação por “gênero, idade, raça, deficiência, origem étnica, religião, crenças ou orientação sexual". Leia Também Como são as cirurgias de redesignação sexual realizadas por pessoas transgênero? Como são as cirurgias de redesignação sexual realizadas por pessoas transgênero? Após assumir ser bissexual, atriz de Elvira, a Rainha das Trevas mostra namorada Após assumir ser bissexual, atriz de Elvira, a Rainha das Trevas mostra namorada "Foi muito importante quebrarmos esse estigma", diz ator de "Brokeback Mountain" A declaração de “zonas sem ideologia LGBT”, feita por diversas autoridades e regiões, foi duramente criticada em julho deste ano(Reprodução/Internet)
Com informações do Portal IG

POLÔNIA – Após serem penalizadas pela Comissão Europeia e pressões da União Europeia, três regiões da Polônia deixaram de se declarar como “zonas livres de ideologia LGBT”. Optaram pela decisão a Cracóvia e Rzeszow, ambas ao sul, e Lublin, no leste. Na semana passada, a área de Kielce, ao sul, também voltou atrás na decisão.

Para reforçar a nova decisão, essas regiões afirmaram que são contra qualquer tipo de intolerância, reforçaram seus valores cristãos e o apoio à família tradicional na Polônia. Parlamentares de Rzeszow trocaram o texto e chegaram a afirmar que repugnam tentativa de ódio e discriminação por “gênero, idade, raça, deficiência, origem étnica, religião, crenças ou orientação sexual”.

A declaração de “zonas sem ideologia LGBT”, feita por diversas autoridades e regiões, foi duramente criticada em julho deste ano. Isso fez com que a Polônia recebesse diversos prejuízos, já que o país recebeu um processo da Comissão Europeia. Na época, a instituição pediu para que o país respeitasse a dignidade dos direitos humanos e que faria o que fosse possível para defender esses valores.

A Polônia também foi denunciada pela UE por caráter discriminatório ao empregar medidas contra a comunidade LGBTQIAP+. O órgão enviou carta de advertência ao país. O impacto diante da declaração também foi econômico, já que o órgão ameaçou bloquear o repasse de até 126 milhões de euros em fundos para cinco províncias polonesas .

Desde 2019, 100 autoridades de todo país discursam usando a postura de “ideologia anti-LGBT” e declaram todo apoio aos “direitos da família”, representando cerca de um terço da Polônia. Esses posicionamentos são mais comuns em áreas tradicionalmente católicas, como sudeste e leste.