Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) –  A Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia (Sesau-RO) ofereceu 18 vagas de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital de Campanha de Rondônia (Hcamp), localizado em Porto Velho, para pacientes que estão em estado crítico por complicações da Covid-19, no Mato Grosso do Sul.

A transferência acontece por meio da Operação Unidos pela Vida, que retribui a ajuda prestada pelo MS a RO, quando o Estado passou pelo momento mais crítico da pandemia, época em que não havia mais leitos de UTI disponíveis na região. Até agora, 14 pacientes do Mato Grosso do Sul chegaram ao solo rondoniense e sete deles continuam em tratamento no Hcamp. 

Recebidos na Base Aérea de Porto Velho, os novos pacientes transferidos seguiram imediatamente para o Hcamp de Rondônia. (Daiane Mendonça/Reprodução)

Ajuda

De acordo com o Governo de Rondônia, o objetivo da Operação Unidos pela Vida é oferecer ajuda a todos os Estados que necessitarem de transferência para seus pacientes acometidos pela Covid-19, visto que  Rondônia não apresenta mais fila de espera por leitos de UTI desde o mês de abril deste ano.

Mato Grosso do Sul começou a transferir pacientes no dia 2 de junho, ocasião em que uma mulher de 41 anos saiu de Bonito com destino à capital de Rondônia. O Estado também já remanejou pacientes para São Paulo. Ao menos 4 transferidos morreram em decorrência da doença, entre eles, uma mulher recebida em Porto Velho no dia 4.

Nesta semana, mais 3 pacientes sul-mato-grossenses com quadro clínico grave (um homem e duas mulheres entre 53 e 68 anos) foram recebidos por equipes médicas que já os aguardavam na Base Aérea de Porto Velho. Eles chegaram a bordo de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) após quatro horas de viagem. Receberam os primeiros atendimentos e, da base, saíram direto para o Hospital de Campanha. 

Até agora, MS já enviou 37  pacientes em estado grave para outros estados por falta de acesso aos leitos de UTI. A Central Estadual de Regulação de Saúde estuda a possibilidade de transferir mais pessoas infectadas pelo vírus, mirando também no Amazonas.

Também de acordo com a Central de Regulação, apenas na capital, Campo Grande, nesta quarta-feira, 16, 111 pessoas esperavam na fila por um leito, também tentando transferência. Desde o início do ano, 8 pessoas morreram na fila e todas as 341 vagas para pacientes com Covid-19 estão ocupadas. Além disso, há pacientes internados até mesmo em leitos ainda não habilitados de forma oficial, atingindo ocupação de 112% em todo o Mato Grosso do Sul.

Casos

Segundo o boletim epidemiológico da Covid-19, publicado nesta quinta-feira, 17, pelo governo do MS, o Estado acumula 319.490 casos confirmados e 7.671 mortes. No último dia, foram 1.869 novos registros de infecção e 36 óbitos.

Tratamento

Ao todo, 7 pacientes sul-mato-grossenses continuam em tratamento na capital rondoniense. De acordo com a Sesau-RO, dois deles (um homem de 29 anos e outro de 33) já deixaram a UTI e foram encaminhados para a ala de enfermaria do Hcamp, com boa recuperação.

Duas mulheres de 58 e 79 anos ainda permanecem em leitos de UTI. Outros três pacientes ainda apresentam quadro clínico grave: uma mulher de 41 anos, que foi submetida a um procedimento de traqueostomia; um homem de 51 anos, que teve uma parada cardiorrespiratória quando chegou ao Estado, além de outro homem, de 55 anos, que também permanece em estado grave e sem previsão de alta. 

Retribuindo o favor

Rondônia, agora, retribui a generosidade de outros estados brasileiros que cederam vagas para seus pacientes, quando o Estado ficou sem leitos de UTI no início do ano, incluindo o Mato Grosso do Sul. Na época, a Secretaria de Estado da Saúde chegou a considerar o período como o mais crítico já enfrentado desde o início da pandemia.

Quando sofreu com a falta de leitos, Rondônia transferiu 164 pacientes para 8 estados. (Reprodução/Governo de Rondônia)

Até março deste ano, um mês antes da fila de espera por leitos de UTI zerar, Rondônia transferiu 164 pacientes para 8 estados: Amazonas (43), Espírito Santo (43), Rio de Janeiro (21), Rio Grande do Sul (19), Paraná (17), Mato Grosso do Sul (13), Mato Grosso (7) e Goiás. Desse total, 62 pacientes retornaram recuperados.