Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Por Redação – Da Revista Cenarium

MANAUS – Em Roraima, o rio Branco registrou nesta sexta-feira, 4, a cota de alerta no município de Caracaraí (a 142,7 quilômetros de distância da capital Boa Vista), ao chegar ao nível de 8,74 metros, faltando apenas 26 centímetros para a cota de inundação. A informação é do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM).

Segundo o órgão, o patamar de alerta foi atingido na noite da última quarta-feira, 2, na estação de Caracaraí, ao superar a marca de 8,50 metros. Em Boa Vista, o nível do rio está em cota de atenção, com 7,82 metros, mas a poucos centímetros do alerta (17 cm). A previsão para as próximas horas é que o rio continue subindo nas duas cidades e atinja a cota de 8,04 metros em Boa Vista e 9,02 metros em Caracaraí, o que corresponde a um patamar em que o rio começa o transbordamento.

De acordo com o último Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do Rio Branco, todas as bacias monitoradas apresentaram chuvas acima da climatologia ao longo da última semana. Em razão das chuvas previstas, tanto em Boa Vista quanto em Caracaraí, a tendência para os próximos dias é de que o rio siga dentro da faixa de atenção para máximas.

“Para a próxima semana, estão previstas chuvas acima dos valores comumente observados neste período do ano, predominando sobre as áreas ao norte da bacia. Na semana posterior, deve chover abaixo dos valores comumente observados sobre a maior parte da bacia”, informou o Serviço Geológico.

No Boletim publicado em 25 de maio, o SGB-CPRM já havia alertado que a bacia poderia ultrapassar as cotas de atenção, alerta e inundação nesta semana. A maioria dos rios já apresentava níveis muito altos para o período do ano, quando normalmente o rio atinge 4,47 m em Boa Vista e 5,26 m em Caracaraí.

Monitoramento

O Serviço Geológico iniciou no mês de maio a Operação 2021 do Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Branco (SAH Branco), com informações hidrológicas de 11 estações de monitoramento. O rio Branco e seus afluentes Surumu, Tacutu, Uraricoera e Mucajaí, contemplados pelo Sistema, compreendem uma área de quase 200 mil km², dos quais 91% integram o território do Estado de Roraima.

“A operação do SAH Branco seguirá por toda a estação de cheia na região, com a publicação semanal de Boletins de Monitoramento. Caso o rio Branco atinja os níveis de Alerta em Boa Vista ou Caracaraí, o monitoramento é intensificado, com a publicação diária de Boletins de Alerta, incluindo previsões de curto prazo para os dois municípios”, comunicou o órgão.

Segundo o SGB-CPRM, o Estado de Roraima enfrentou, em 2011, a sua pior enchente desde a cheia histórica anterior, ocorrida em 1976. “Praticamente todos os municípios entraram em situação de emergência, e comunidades ficaram em isolamento total em razão das fortes chuvas que ocorreram no mês de junho. A partir daí, observou-se a necessidade de implantação do Sistema de Alerta Hidrológico do rio Branco”, explica o Serviço Geológico.

O sistema de previsão e alerta de cheia implantado na bacia colabora para a redução do risco de perda de vidas e prejuízos materiais, dotando as comunidades e os serviços de emergência de tempo para se prepararem para a inundação e proteger os bens materiais.

Os dados das estações fluviométricas são frequentemente atualizados em cprm.gov.br/sace/branco, assim como todos os boletins enviados. As informações dos boletins são baseadas em dados hidrológicos monitorados pelo SGB–CPRM no contexto da Rede Hidrometeorológica Nacional, de responsabilidade da Agência Nacional das Águas e Saneamento Básico (ANA), e coletadas também por institutos parceiros.