5 de março de 2021

Com informações da Agência Brasil

MANAUS – Profissionais da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro descobriram que o homem com caso confirmado da variante britânica do coronavírus participou de uma reunião de família com ao menos oito pessoas em Nova Friburgo, dias antes de apresentar os sintomas.

Uma equipe técnica da SVS esteve no local para a investigação epidemiológica, e o dono da casa relatou que foi diagnosticado com covid-19 um dia depois do evento, o que foi confirmado por um teste rápido. Ele já se recuperou da doença e relata não ter viajado nem tido contato com alguém que tenha viajado para locais onde a variante do vírus esteja circulando.

Como não foi coletado material para análise na época em que o dono da casa estava doente, não será possível realizar sequenciamento genético para confirmar se ele também teve covid-19 a partir da infecção da variante britânica do vírus.

O homem cuja infecção foi comprovadamente atribuída à variante mora na cidade do Rio de Janeiro, teve apenas sintomas leves e já se recuperou da doença.

Até esse sábado, 20, havia 13 casos de covid-19 em investigação por possíveis relações com as novas variantes do coronavírus no Estado. São considerados suspeitos pacientes com sinais e sintomas de covid-19 que tenham histórico de viagem ou contato com pessoas oriundas de outros Estados e/ou países com circulação de novas variantes.

Casos confirmados

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro já confirmou cinco casos relacionados a mutações do coronavírus, sendo um da variante britânica e quatro da variante brasileira, identificada pela primeira vez em Manaus.

Dois dos pacientes com a cepa brasileira morreram, sendo um morador de Belford Roxo e outro paciente oriundo de Manaus. “A SES reforça que, em ambos os casos, não é possível afirmar que houve agravamento dos quadros devido à mutação do vírus”.

Entre esses cinco pacientes, quatro adquiriram a doença dentro do próprio Estado do Rio de Janeiro, o que confirma que as cepas já estão circulando ao menos na capital, e, provavelmente, também nas cidades de Nova Friburgo e Nova Iguaçu. Apesar disso, a secretaria alerta aos demais municípios que é possível que a circulação seja mais ampla, devido à mobilidade de pessoas na região metropolitana.