25 de fevereiro de 2021

Com informações do G1

RIO DE JANEIRO – A Prefeitura do Rio confirmou a morte do segundo paciente contaminado com a nova variante do coronavírus no estado. O paciente de 46 anos era de Manaus, estava internado no Hospital Federal do Servidor e morreu na noite desta quinta-feira, 18. Ele tinha hipertensão arterial sistêmica e obesidade, o que estaria relacionado ao agravamento do caso.

Ao todo, cinco pessoas foram identificadas no Rio de Janeiro com a nova cepa da doença. Na terça, 16, um homem de 55 anos morreu após testar positivo para a variante brasileira do coronavírus no RJ.

De acordo com o governo do Estado, existe transmissão local das variantes brasileiras e do Reino Unido do coronavírus no Estado. A informação foi divulgada em uma nota conjunta das secretarias de Saúde do Estado e do município. Os dois órgãos estavam investigando o histórico dos pacientes, para saber onde eles foram contaminados.

Os outros três pacientes diagnosticados com a nova variante têm sintomas leves, segundo a prefeitura. São homens e uma mulher, com idades entre 30 e 40 anos, moradores da Freguesia, Laranjeiras e Copacabana.

Todos relataram que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados de Covid. Apenas um tinha feito uma viagem, no dia 30 de dezembro. Porém, o adoecimento só aconteceu em fevereiro, o que fez com que a Secretaria Municipal de Saúde descartasse a relação da viagem com a doença. O intervalo é maior que o período de incubação.

A investigação concluiu que são casos de transmissão doméstica, na cidade do Rio. Um dos casos é da variante B1.1.7., vinda do Reino Unido. Outros dois casos são da variante P1, brasileira e do Amazonas.