Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Iury Lima – Da revista Cenarium

VILHENA (RO) – O Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau (Concacau), teve lançamento anunciado pelo Governo de Rondônia para ocorrer entre as próximas semanas. O evento vai avaliar a produção de cacauicultores dos 52 municípios, para promover e incentivar o cultivo do fruto, tão importante para a economia do Estado.

O concurso foi pensado nos mesmos moldes do Concafé, hoje considerado como a maior disputa cafeeira do Brasil, que também começou como um simples concurso estadual. A avaliação vai considerar a qualidade física, sensorial e o emprego de práticas sustentáveis no cultivo do fruto, que deve crescer quase 20% no Estado, em 2021.

(Reprodução/Governo de Rondônia)

O concurso

De acordo com a Secretaria de Estado de Agricultura (Seagri), todos os rondonienses produtores de cacau poderão participar, enviando suas amostras para avaliação da comissão julgadora, assim como acontece no Concafé, quando os cafeicultores separam pequenas quantidades dos grãos colhidos na última safra e as destinam à secretaria estadual de agricultura.

A partir daí, a Seagri realiza a avaliação das características físico-químicas das amostras para definir parte da pontuação final de cada cacau produzido em Rondônia. No 1º Concacau, pontuam melhor, durante a análise sensorial de qualidade global, as amostras que resultam nos melhores licores e chocolates, além de que atendam aos critérios obrigatórios de sustentabilidade. 

Para a organização do evento, que tem cerimônia de premiação já prevista para novembro deste ano, o governo estadual conta com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além da Comissão Executiva do Plano Lavoura Cacaueira de Rondônia (Ceplac) e de outras cinco autarquias e instituições de comércio, serviços, prevenção sanitária e pesquisa.

Crescimento

Há poucos passos do início da disputa, o governo do Estado prospecta crescimento econômico em relação à produção cacaueira em seu território, como resultado do incentivo gerado por meio do evento.
“Essa primeira edição vai estimular e promover a excelência da produção de cacau em Rondônia em todas as suas etapas. Sabemos que vai ajudar quem trabalha na agricultura familiar, além de fortalecer nossa produção de cacau local”, declarou o secretário de Estado de Agricultura, Evandro Padovani, sobre a novidade. 

Com 12 mil hectares de área de cultivo, sendo responsável por cerca de 6 mil toneladas por ano, Rondônia é o terceiro maior produtor da cultura no País. São mais de 600 quilos por hectare durante a colheita. Investindo na substituição das plantas convencionais por clones geneticamente melhorados, o governo estima que o salto seja de 651 para até 3 mil quilos colhidos por hectares. De acordo com a Seagri, o cacau clonal é mais produtivo e mais resistente, principalmente contra a vassoura de bruxa, doença que prejudica o crescimento de galhos, folhas e frutos.

Sementes

Em 2020, o governo distribuiu, por meio da pasta, 12 mil sementes de cacau clonal para que os produtores cultivem as mudas. A secretaria segue com ações para viabilizar a retomada da cacauicultura, que já foi muito mais expressiva e importante para a economia rondoniense. Um dos planos é entregar mais de 40 milhões de sementes ao longo do ano. Além disso, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estima que o cacau deve ser o maior crescimento em produção e área plantada, neste ano, em Rondônia, representando aumento de 20%.