Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
27 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Iury Lima – Da Cenarium

VILHENA (RO) – Roraima é o Estado da Amazônia Legal que detém o maior índice de homicídios de indígenas. O percentual faz parte do levantamento do Atlas da Violência, do Instituto de Pesquisa Aplicada (Ipea), divulgado nessa terça-feira, 31.

A pesquisa que comparou as taxas de homicídios entre a população em geral e os povos tradicionais revelou que a cada 100 mil pessoas, 57 vítimas de assassinados pertencem a alguma etnia, enquanto 38,6 pessoas não indígenas foram mortas no Estado.

O levantamento também reuniu dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde (MS). 

EstadoTaxa (a cada 100 mil – população em geral)Taxa (a cada 100 mil – indígenas)
Acre36,913,9
Amapá42,730,1
Amazonas38,422,5
Maranhão24,123,6
Mato Grosso25,71,7
Pará39,612,6
Rondônia25,220,3
Roraima38,657
Tocantins2912,6
Fonte: Atlas da Violência/Ipea

Segunda pior taxa do Brasil

O mesmo indicador ainda indicou que a Roraima ocupa a segunda posição do ranking de Estados com as maiores taxas de assassinatos de indígenas brasileiros, perdendo apenas para o Rio Grande do Norte, que pontuou com média de 68,8.

Em números absolutos, foram 41 indígenas mortos em 2019 no Estado de Roraima, ficando atrás do Amazonas, que registrou 49 ocorrências. O Estado roraimense também ultrapassou o Mato Grosso do Sul, com 39 casos.

Quando os números são comparados a Estados que concentram Terras Indígenas (TI) e população autodeclarada indígena, Roraima aparece em segundo lugar, perdendo para o Rio Grande do Norte, mas ficando à frente, também, de Mato Grosso do Sul. 

Indígenas Yanomami, da comunidade Palimiú, no noroeste de Roraima, que sofreram diversos ataques de garimpeiros no início do ano. (Reprodução/Internet)

Taxas de homicídios por UF com TIs ou autodeclarados

PosiçãoEstadoTaxa (a cada 100 mil) 
Rio Grande do Norte68,8
Roraima57
Mato Grosso do Sul44,8
Amapá 30,1
Santa Catarina24,3
Fonte: Atlas da Violência/ Ipea

Mais dados

Os dados do Ipea explicitam a queda na taxa de homicídio da população geral do Brasil, enquanto o quadro de pessoas indígenas assassinadas aumentou 21,6% nos últimos dez anos, período entre os anos 2009 e 2019.

Ao todo, 2.074 indígenas foram assassinados no período analisado pelo Ipea, chegando, em 2019, à média nacional de 18,3 vítimas a cada 100 mil integrantes de povos originários.

As mortes com emprego de violência foram mais acentuadas em municípios onde estão localizadas Terras Indígenas (TIs): 20,4 assassinatos a cada 100 mil indígenas. Já onde não há TIs, a taxa ficou em 7,7.

Em 2019, em todo o Estado, foram registrados 113 assassinatos e 20 homicídios culposos (quando não há a intenção de matar). Já o total de casos de violência contra a pessoa indígena chegou a 277 ocorrências.