Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – No Dia Mundial do Meio Ambiente, o diplomata e ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, divulgou um vídeo onde faz uma série de críticas à política ambiental do Governo Bolsonaro. O vídeo foi publicado na tarde deste sábado, 5, nas redes sociais de Arthur.

“Por que ainda temos como ministro do Meio Ambiente um cidadão que se opõe às práticas ambientais corretas, um cidadão cuja proposta escusa, feita em plena reunião de ministros com o presidente, é “passar a boiada” e exportar madeira ilegal extraída da nossa região?”, diz Arthur em um trecho do vídeo onde lembra de uma reunião ministerial.

No início do vídeo, o diplomata reforça que todo dia é dia de alerta em defesa da floresta amazônica, lembra que os predadores são vorazes e há necessidade de enfrentá-los. Ele reforça também que, sem respeito à ecologia, nenhuma estratégia econômica será boa para a humanidade. “Aproveito que os olhos do mundo estão voltados para os riscos crescentes do aquecimento global. Estão voltados para a Amazônia, sua floresta, seus rios, seus índios, seu povo sofrido e, ao mesmo tempo, empiricamente muito culto”, afirmou.

Durante o vídeo, Arthur faz cinco perguntas, questionando, principalmente, a política ambiental do governo federal, com foco em críticas sobre garimpo em terras indígenas, recordes de desmatamento.

Zona Franca – Uma das perguntas envolve o Polo Industrial de Manaus, principal matriz econômica do Amazonas. Arthur questiona o motivo pelo qual gestores desprezam as potencialidades do modal que também tem como foco o desenvolvimento econômico e ambiental. “Por que o Brasil despreza o potencial trilhonário de uma economia sustentável que passa, inevitavelmente, pelos investimentos e por reformas profundas no Polo Industrial de Manaus, cujas indústrias não poluem, não têm chaminés?”, alerta.

Na publicação, Virgílio também fala sobre o conhecimento empírico do povo amazônida e finaliza o vídeo pedindo empatia com relação ao meio ambiente. “Brasil, no Dia Mundial do Meio Ambiente, peço com humildade e amor: cultivemos o sentimento de pertencimento sobre a maior floresta tropical e a maior bacia hidrográfica do planeta. Salvemos a Amazônia do desastre”, finaliza.

Confira o vídeo: