28 de fevereiro de 2021

Com informações da UOL

SÃO PAULO – Uma nova antecipação no calendário de saque do abono salarial do PIS/Pasep, anunciada nessa sexta-feira, 5, pode confundir. Na prática, o que o governo fez foi adiantar em um mês o cronograma do abono passado, referente ao ano de 2019, que já estava na reta final.

E o próximo abono, quando sai? Será antecipado também? Quem terá direito? Veja as principais perguntas e respostas abaixo.

Quem teve o saque do abono antecipado?

O governo antecipou para 11 de fevereiro o saque para os trabalhadores que ainda não haviam recebido o abono referente ao ano de 2019. São eles:

  • empregados de empresa privada nascidos em maio e junho
  • funcionários públicos com inscrição de final 8 e 9 no Pasep

O calendário antigo previa que esses trabalhadores receberiam apenas em 17 de março. Com a antecipação, eles vão receber no mesmo dia que os aniversariantes de março e abril (PIS) e dos servidores com inscrição de final 7 e 8 (Pasep).

A resolução publicada na sexta (5) também define que os empregados de empresa privada com direito ao abono do PIS que são correntistas da Caixa receberão crédito em conta a partir de 9 de fevereiro. O mesmo acontecerá para os funcionários públicos com direito ao abono do Pasep que são correntistas do Banco do Brasil.

Quem tem direito a esse abono do PIS/Pasep

O abono que está sendo pago é para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público em 2019. Para ter direito, é preciso preencher todos os requisitos abaixo:

  • Ter trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019
  • Ter recebido, no máximo, dois salários mínimos por mês, em média
  • Estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos
  • É preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado os dados corretamente ao governo
Como ficou o calendário atualizado do abono salarial?

O calendário do abono referente ao ano de 2019 começou em julho de 2020, pelos aniversariantes de julho e pelos servidores com número de inscrição terminado em zero.

Normalmente, o cronograma duraria 12 meses, seguindo o mês de nascimento para empregados da iniciativa privada (PIS) e o número de inscrição do Pasep para funcionários públicos.

Confira a matéria completa aqui