Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Carolina Givoni – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que foram acumulados 35.515 focos de queimadas na Amazônia Legal, desde o início do ano de 2020 até o fim de semana. Segundo dados do Satélite de Referência (AQUA TARDE), o ranking é liderado pelos estados do Mato Grosso com 11.474 focos, correspondentes a 32,3%, seguido do Pará, com 7.336 focos representando 20,7% do total, e do Amazonas com 5.519 focos, quantificando 15,5% de queimadas.

O gráfico aponta a distribuição percentual dos focos de queimadas acumulados desde 1º de janeiro deste ano até o domingo, 8, na Amazônia legal, conforme dados do Satélite de Referência AQUA Tarde.

Julho

Neste mês de julho, os estados brasileiros com maior ocorrência de queimadas foram: Pará (PA), Mato Grosso (MT), Amazonas (AM), Maranhão (MA) e Tocantins (TO). Entre os dez municípios brasileiros que mais queimaram, a maioria se encontra nos estados da Amazônia Legal, respectivamente Amazonas e Pará. No total, dez municípios registraram 3.920 focos de incêndio, o que representou cerca de 25% de todos os focos registrados nos 5.570 municípios do país.

Totalização dos dados de queimadas em julho – Fonte (INPE)

Série Histórica

Ainda na análise comparativa do Inpa, são quantificados os focos de queimadas, para cada estado da Amazônia Legal, a partir do Satélite de Referência (Aqua Tarde), entre os dias 01/01 a 09/08 de cada ano. Respectivamente a partir de 2005, 2010, 2016, 2019 e 2020.

Tendência para Agosto

De acordo com a climatologia de focos entre 2003 e 2019, em agosto ocorrem, em média, cerca de 48.841 focos em todo o país. E segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), a previsão trimestral para o Brasil, de agosto a outubro de 2020, gerada pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), indica precipitação abaixo da faixa normal climatológica nos estados de Rondônia, Mato Grosso e Tocantins.

Leia mais: Queimadas na Amazônia, em agosto, superam as registradas no mesmo período de 2019, diz Inpe

Por outro lado, probabilidade de precipitação acima da média na parte norte de Roraima e Pará. Considerando estas previsões, a tendência esperada para os focos de queimadas no Brasil para o mês de agosto será de comportamento dentro a acima da média em relação à climatologia (48.841 focos)

Totalização dos dados de queimadas em julho – Fonte (INPE)

Negacionismo

Mais um episódio de negacionismo as queimadas foi pronunciada presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), durante uma vídeoconferência com líderes de países da região amazônica, realizada nesta terça-feira, 11, na reunião da 2ª Cúpula Presidencial do Pacto de Letícia.

“Eu tenho convidado os embaixadores que têm interesse na Amazônia, por exemplo, na época do ano que eles bem entenderem a sobrevoar comigo entre as regiões de Boa Vista e Manaus. Em aproximadamente 600 quilômetros, eles não acharão nenhum foco de incêndio, nem um quarto de hectare desmatado”, disse Bolsonaro.