Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
5 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Mencius Melo – da Revista Cenarium

MANAUS – O secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, se reuniu com o presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), na última semana, em Brasília.

O encontro foi resultado dos trabalhos realizados pelo Colégio de Secretários de Segurança (Consesp), do qual Bonates é vice-presidente, que na ocasião, apresentou ao presidente e ao ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, propostas para o fortalecimento da pasta.

Tanto o presidente, quanto o ministro, ouviram atentamente as ideias apresentadas no documento, cujo objetivo é tornar mais célere e atuante, as políticas de segurança pública.

Entre as propostas estão temas pertinentes como a desburocratização dos bens apreendidos pelas polícias estaduais, para que possam ser enviados de forma imediata a leilões e os valores apurados sejam recolhidos aos cofres da Segurança Pública.

“É uma forma de incremento aos recursos para os fundos que necessitam de uma agilidade na liberação. Recebemos também a informação de que o ministro da Justiça irá adquirir de imediato coletes à prova de bala para as polícias”, adiantou Bonates.

Criação do ministério

O vice-presidente do Consesp considerou otimista o encontro e acredita que a iniciativa dará bons frutos para a segurança pública já que  o ministro André Mendonça se mostrou favorável ao investimento no profissional da área. Incluso nisso, está a discussão sobre a criação ou ampliação de programas para cursos de especialização para os servidores, no exterior.

O secretário de segurança do Amazonas, sustentou que o Consesp é favorável à criação do Ministério da Segurança, desmembrando-o do Ministério da Justiça. A medida tem apoio dos secretários porque entre outras vantagens, a pasta da segurança pública teria um orçamento definido e todo voltado para o setor.

“Tivemos uma excelente impressão do novo ministro, que demonstrou a intenção de ampliar as parcerias com os estados, passando a ouvir mais o Colégio de Secretários de Segurança”, finalizou Louismar Bonates.