Secretário do Ministério da Saúde é convidado a explicar nota negacionista ao Senado

Com informações da Revista Fórum

BRASÍLIA – O senador Humberto Costa (PT-PE) protocolou, nesta segunda-feira, 24, um requerimento para que o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto, seja convidado a prestar esclarecimentos à Comissão de Direitos Humanos do Senado sobre nota técnica negacionista que veio à tona na última semana, que recomenda cloroquina no tratamento contra a Covid-19 e questiona a efetividade e segurança das vacinas.

Veja também: Secretário do Ministério da Saúde diz que vacina não funciona e defende hidroxicloroquina

A nota técnica emitida pelo ministério, produzida para confrontar as diretrizes científicas do Sistema Único de Saúde (SUS) e agradar as teses negacionistas de Jair Bolsonaro (PL), afirma que o uso de hidroxicloroquina para o combate à Covid-19 é eficiente e apresenta segurança, enquanto as vacinas que previnem formas graves da doença não teriam a eficácia desejada e seriam inseguras para quem faz uso delas. O documento com informações falsas é assinado por Angotti Neto.

“A nota levanta suspeição sobre os métodos utilizados nas pesquisas científicas apresentadas para os testes da vacina. Ou seja, membros do alto escalão do Ministério da Saúde continuam disseminando dúvidas sobre os avanços da ciência”, diz Humberto Costa no requerimento.

Confira a íntegra:

Rede vai ao STF e pede afastamento de secretário

Também nesta segunda-feira (24), conforme já havia sido adiantado pela Fórum, o partido Rede Sustentabilidade entrou com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o Ministério da Saúde e Angotti Neto por conta da nota negacionista.

Na ação, a legenda pede para que o STF anule a nota técnica, obrigue o Ministério da Saúde a emitir um novo documento que explicite a ineficácia da cloroquina, bem como a efetividade das vacinas contra a Covid, e solicita ainda que Angotti Neto seja afastado do cargo.

Confira, abaixo, a íntegra da ação:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO