Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da assessoria

MANAUS – Março começa com a segunda edição do festival “Femmefest”, festival que tem o objetivo de promover o protagonismo feminino na cultura, em especial na música. O evento será transmitido neste sábado, 6, a partir da 19h, no canal “Femmefest” no YouTube. Esta segunda edição, que contará com programação totalmente digital, foi selecionada na Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, em edital do Governo do Pará, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Com o tema As Três Marias, o “Femmefest” 2021 quer fortalecer o trabalho e a arte das mulheres. Desde a primeira edição, ele é massivamente realizado por uma equipe feminina. “A ideia do festival, quando surgiu, era dar um suporte para a Banda Icamiabas que queria gravar o seu álbum, mas aí ele acabou extrapolando barreiras. Agora a gente está conseguindo abranger mais mulheres e linguagens artísticas em mais lugares do país”, explicou Caroline Leal da equipe de produção.

Mulheres no Palco

Os shows ficam a cargo da Banda Icamiabas, Grupo Encanto do Tambor, Aurora Punk, Banda Amurians e Brenda Zeni. As performances ficam por conta do Coletivo Mulheres de Ananindeua em Movimento e de Tarsila França. Já os bate-papos e palestras terão a presença de Lívia Noronha, Eliana Bogéa e do Coletivo Tudo Pelas Mulheres (TPM) integrando a programação que é 100% feminina.

“Pretendemos atingir o maior número de pessoas possível, levando ao Brasil e ao mundo o brado dessas guerreiras pela diversidade cultural e pela história de nossas mulheres, atingindo positivamente a vida de todo aquele que precisa ouvir nossa voz”, disse Sheila Moutinho, integrante da Banda Icamiabas e idealizadora do festival.

Grupo Encanto do Tambor (Reprodução/Internet)

Vozes que não podem ser silenciadas

Se por um lado a pandemia da Covid-19 resultou na versão online do “Femmefes” e na possibilidade de intercâmbio com a produção feminina de fora da capital paraense, por outro a consequência do atual cenário está marcada na pele e na vida das mulheres, principalmente das mais pobres e vulneráveis.

A violência contra as mulheres aumentou com o isolamento social, quando muitas delas ficaram em casa presas com seus agressores. Desde a sua programação artística até as suas palestras e debates, o “Femmefest” aborda a importância de se romper silêncios.

O festival visa chamar atenção para este cenário. São muitas Marias com seu pedido de socorro abafado sem saber para onde ir e a quem recorrer. O evento quer denunciar estes casos e orientar as mulheres.