Sem provas, empresário acusa presidente do TRE-AM de compactuar com fraude

Empresário Durango Duarte e o presidente do TRE-AM, João Simões (Composição: Paulo Dutra/CENARIUM)
Ana Pastana – Da Cenarium

MANAUS (AM) – O publicitário Durango Duarte disparou ameaças e xingamentos ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador João Simões. O empresário teria enviado os áudios para o jornalista Cláudio Barbosa, assessor de imprensa do TRE-AM.

Duarte teria se exaltado após o presidente do Tribunal estabelecer uma reunião com institutos de pesquisas com o objetivo de debater sobre a integridade dos estudos relacionados às eleições amazonenses. 

O empresário, dono do instituto de pesquisa Perspectiva Mercado e Opinião, que presta serviços ao prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), teria questionado o presidente por compactuar com “institutos fraudulentos”, além de acusá-lo de abuso de autoridade por ter convocado a reunião.

PUBLICIDADE

Nas mensagens de voz, é possível ouvir Durango Duarte disparando críticas ao desembargador, com o objetivo de pressionar o assessor Cláudio Barbosa para que articulasse o cancelamento do encontro.

“O presidente, desembargador João Simões vai passar vergonha. Ele vai ter que cortar a minha palavra na reunião, e eu vou denunciar ele por abuso de autoridade e compactuação com institutos fraudulentos. Vai ser desse nível, e eu não vou brincar”, disse.

“Tu vira assessor, e tu vai colocar o presidente nesse papel ridículo? Vai ser um escândalo. Eu vou destruir essa reunião, Cláudio. Eu vou denunciar e vou mostrar provas. Vocês não queiram fazer essa reunião”, declarou Duarte em um dos áudios.

Retratação

Após a repercussão negativa das mensagens, Durango Duarte emitiu uma nota de desagravo, se desculpando com o desembargador João Simões pelas palavras proferidas, e afirmando ter compreendido a intenção do presidente em abrir um espaço democrático para ouvir as instituições.

Leia na íntegra:

“Gostaria de me dirigir ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, desembargador João Simões, para expressar minhas sinceras desculpas pelas palavras ditas em uma conversa privada com o jornalista Claudio Barbosa, que infelizmente vazou para terceiros. Em nenhum momento tive a intenção de ameaçar ou desrespeitar o presidente do Tribunal.

Na ocasião da conversa, estava profundamente indignado com o fato de que uma reunião havia sido marcada com um grupo de institutos de pesquisas cujos resultados apresentavam inconsistências, que, de fato, estão sendo provadas na Justiça. No entanto, após refletir sobre o ocorrido e receber mais informações, compreendi que o desembargador João Simões agiu de forma louvável e democrática ao abrir a reunião para todos os entes envolvidos, incluindo juízes eleitorais, partidos políticos e a imprensa.

Minha indignação momentânea não reflete meu respeito e apreço pelo trabalho e pela conduta do presidente do Tribunal Eleitoral do Amazonas. Entendo agora que a intenção da reunião era promover um diálogo aberto e transparente, buscando soluções para as questões apresentadas.

Reitero minhas desculpas ao presidente João Simões e a todos os envolvidos pelo tom inadequado das minhas palavras ditas no calor do momento. Elogio a postura do presidente por fomentar um ambiente democrático e participativo, essencial para o fortalecimento da nossa Justiça Eleitoral”.

Leia mais: Sob risco de perder título de Cidadão Amazonense, publicitário Durango Duarte diz que vai devolver honraria
PUBLICIDADE

O que você achou deste conteúdo?

Compartilhe:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.