Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
1 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Danilo Alves – Da Revista Cenarium

BELÉM (PA) – Após decisão em Assembleia Geral, na tarde de quinta-feira, 4, professores e demais servidores da rede estadual de ensino do Pará decretaram greve sanitária. A categoria reivindica o retorno das atividades presenciais estabelecidas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-PA). Conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), por segurança, as aulas voltarão a ser ministradas 100% online, a partir da próxima segunda-feira, 9.

Segundo o coordenador-geral do Sintepp, professor Beto Andrade, o retorno das atividades só deveria acontecer após o ciclo completo de imunização contra a Covid-19 dos trabalhadores e estudantes da rede. Para o professor, é necessário respeito ao servidor e aos demais que também participam da rede de ensino público.

“Um dos aspectos centrais das orientações dadas pelo governo são inexequíveis, que voltemos 100% às nossas atividades. Não teríamos tempo de preparar as aulas e seguir atividades remotas e presenciais ao mesmo tempo, não há como fazer as duas atividades”, comentou. “O formato que foi colocado para as atividades escolares não é um formato exequível para esse momento”, finalizou.

Coordenador-geral do Sintepp-PA, Beto Andrade fala sobre decisão da categoria sobre greve sanitária, no PA (Vídeo: Divulgação/Redes Sociais).

Beto também comentou sobre as falhas nas medidas adotadas para o retorno das aulas presenciais na rede, além informar que a categoria deve realizar um ato no próximo dia 11 contra a PEC- 32, que consiste na reforma administrativa.

“Foi amplamente debatida a imposição do retorno presencial chamado pela Seduc e constatou-se que as orientações possuem muitas debilidades pedagógicas, principalmente pela forma em que os conteúdos serão abordados, tornando sua continuidade mais lenta. Tal proposta passa aquém do ensino híbrido desenvolvido pela rede particular. Ao que parece o governo tentou copiar. A fragilidade aumenta principalmente no momento em que estamos nos aproximando do Enem”, explicou.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-PA) informou, em nota, que continuará com as aulas presenciais na rede pública estadual, conforme o Plano de Retomada, aprovado com unanimidade pelo Conselho Estadual de Educação (CEE-PA). De acordo com a nota, a decisão pelo retorno está em consonância com estudos científicos e dentro dos rígidos parâmetros estabelecidos pelos órgãos de saúde pública, adotando as medidas cabíveis e todos os protocolos de biossegurança. Ressalta, ainda, que as unidades escolares que não estão adequadas para o retorno presencial seguirão com as atividades remotas com o intuito de resguardar a saúde de toda a comunidade escolar paraense.