Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – Praticar regularmente a atividade sexual na terceira idade traz inúmeros benefícios à Saúde. Uma vida sexual saudável é, inclusive, recomendada por médicos e especialistas. Por isso, a psicóloga e sexóloga Neyla Siqueira afirmou nesta quarta-feira, 21, que, apesar disso, o assunto ainda costuma ser tabu e encontra mais barreiras quando se trata de idosos.

A sexóloga destaca que ainda há um grande pudor sobre o sexo na terceira idade, e que apesar dos preconceitos, a sexualidade não envelhece. “A sexualidade nos acompanha desde o útero até a morte, todos temos direitos sexuais. O sexo na terceira pode e deve ser prazeroso, não dá para entendermos que idoso é feito para cuidar de neto, jogar bingo e fazer crochê”, defende Neyla.

De acordo com Neyla, a sexualidade está diretamente ligada à longevidade, indo muito além de orgasmos e ereções. Ainda que com o tempo, o corpo não funcione com a mesma “facilidade” da juventude, é possível celebrar o momento a dois com redescobertas e até apetrechos para celebrar o momento de prazer.

“Comprovadamente a sexualidade se aprimora e vai se adequar, mas as restrições físicas ou ainda implicações médicas não podem ser desculpas para não viver intimidade, prazer e afeto. Justamente focando neste público o mercado tem timidamente investido em produtos e técnicas que podem ajudar, como vibradores adaptados, cosméticos sensuais e até intervenções médicas”, explica a especialista.

O ensaio fotográfico foi feito pelo britânico Rankin e mostra idosos envolvidos em atmosfera sexual (Reprodução/ Rankin)

Resgate da libido

Neyla afirma que é comum com o passar dos anos a libido diminuir consideravelmente e por consequência afetar a vida sexual, mas a especialista explica que há fatores e hábitos simples para auxiliar no resgate e melhora da libido como a alimentação saudável, atividade física regular e reposição hormonal.

“Além disso, indico séries e filmes que podem ajudar como ‘Gracie e Frank’ ou ‘Alguém tem que ceder’ que mostram idosos e a superação dos desafios da sexualidade. Se não tem a mesma potência de antes, vamos investir em alternativas orais ou manuais que substituam o que já não responde da mesma forma”, aconselha.

Benefícios

Para a especialista, o sexo praticado de maneira responsável auxilia no melhor funcionamento do organismo, não somente aos idosos, mas para todas as faixas etárias sexualmente ativas. A redução da pressão arterial, melhora do sono, diminuição de dores, além do alívio da ansiedade. Sintomas de estresse, melhora da saúde vascular também são alguns dos inúmeros benefícios oferecidos pelo sexo.

“O mesmo vale para as idosas que não conseguem mais o mesmo vigor e malabarismos de antigamente, mas que estão aí firmes e fortes utilizando brinquedos e se descobrem de uma forma que desconheciam. O pulo do gato é se reinventar”, disse a sexóloga.

Cuidados

Embora a sexualidade seja importante, a especialista alerta para os cuidados necessários para a proteção da saúde. Como por exemplo, o uso de preservativos em todas as relações. “Uma questão delicada e importante, e que demanda psicoeducação pontual e direta final o público da terceira idade não teve acesso a essas informações da forma adequada e os números de IST em idosos têm crescido exponencialmente”. relata.

Outro ponto é o uso indiscriminado de medicamentos ou remédios caseiros para melhorar a potência sexual ou ainda aumentar o desejo. Ele adverte que “Essas porções mágicas’ e os remédios sem acompanhamento médico podem ter efeito contrário ou ainda causar complicações mais severas.

“Além de se cuidar e seguir as dicas faladas aqui. O acompanhamento médico é fundamental, que sejamos livres não só no corpo, na sexualidade, mas da resistência de cuidar da saúde como recomendado. É um conjunto de fatores para um envelhecimento saudável e, de fato, gozar a vida”, finaliza.

A prática sexual auxilia no melhor funcionamento do organismo (Reprodução/Rankin)

Campanha

Mesmo com o tabu envolto ao assunto, cada vez mais a temática vem tomando espaço nas rodas de conversa e nas mídias. Recentemente, mais precisamente em maio deste ano, a ONG britânica Relate em parceria com a agência de publicidade Ogilvy realizou a campanha intitulada de “Vamos Falar sobre a Alegria do Sexo na Terceira Idade”.

Fotos em preto e branco estamparam as ruas do Reino Unido mostrando casais ensaiando momentos íntimos de afeto e sensualidade. Um dos principais intuitos da campanha foi justamente desencadear uma discussão em relação ao estereotipo da velhice assexuada alimentada há tempos pela sociedade. “É extremamente válido. Um trabalho lindo, de bom gosto e mostra que nossa sexualidade permanece”, comenta a psicóloga.