Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
18 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS (AM)- A pandemia do novo coronavírus vem adiando diversos sonhos, entre eles, o de ter uma formação acadêmica. Com esse novo formato de vida, os jovens vêm se evadindo das faculdades privadas.

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Semesp, no dia 8 de junho de 2021, o número de estudantes fora das faculdades aumentou de 30%, em 2019, para 35,9%, em 2020.

Segundo o economista Origenes Martins, a pandemia foi o principal motivo para essa evasão, pois as limitações levaram o mercado a impedir que as escolas pudessem manter o quadro de professores. “Eu mesmo sou da lista dos que foram demitidos por ter qualificação e salário mais incompatível com a realidade do mercado. Além disso, a escolha do ensino a distância como opção para manter os alunos foi o “tiro no pé” do sistema escolar, pois acabou por afastar a maior parte dos alunos que não estavam preparados para o sistema”, destacou.

Origenes ressaltou que outro motivo específico do Ensino Superior foi a multiplicação de escolas, muitas delas sem condições adequadas para atender as exigências que o Ministério da Educação impunha há alguns anos atrás. Hoje, temos instituições de Ensino Superior até em salas de shoppings. Esta disputa pelo mercado, que o governo de algumas décadas atrás pensou que seria uma forma de oferecer ensino mais acessível, acabou por diminuir a qualidade e a própria credibilidade do Ensino Superior brasileiro”, salientou.

(Divulgação/Valor Econômico)

Empecilho

O estudante Eduardo Cavalcanti conta que ficou, aproximadamente, três semanas na faculdade privada e que por questões pessoais precisou trancar o curso. “Minha avó faleceu e ela que pagava minha faculdade, depois disso ficou pesado pra eu continuar pagando, aí tranquei, fui buscar emprego e, atualmente, trabalho como atendente. Eu pretendo voltar para a faculdade, quando as coisas melhorarem, tanto financeiramente como no pessoal”, explicou.

Para a estudante Livia Barroso, ficar sem ir para a faculdade tornou uma maneira de reduzir as contas de casa. “Eu sempre quis ir para uma faculdade, ter um curso Superior sempre foi um sonho para mim. Eu consegui cursar um período de Psicologia, mas precisei trancar, pois a faculdade estava me custando muito caro e quem me ajudava era minha tia, que também ficou sem conseguir pagar. Eu tranquei a faculdade e fiquei procurando um emprego, para que mais no futuro conseguisse voltar para realizar meu sonho”, explicou