30 de novembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Com informações de agências

BRASÍLIA – Em reação ao espancamento de um homem negro até a morte por seguranças de um supermercado Carrefour de Porto Alegre às vésperas do Dia da Consciência Negra, Ministros do Supremo Tribunal Federal foram as redes sociais declarar indignação com o caso nesta sexta-feira, 20. 

“O episódio só demonstra que a luta contra o racismo e contra a barbárie está longe de acabar. Racismo é crime!”, escreveu o ministro em sua conta oficial no Twitter.

(Reprodução/Twitter)

Para Alexandre de Moraes “o bárbaro homicídio praticado no Carrefour escancara a obrigação de sermos implacáveis no combate ao racismo estrutural”. Na mesma linha, Gilmar Mendes, que aderiu a hashtag “#vidasnegrasimportam”, publicou que “o episódio só demonstra que a luta contra o racismo e contra a barbárie está longe de acabar.”

No Twitter, o assunto está entre os mais comentados no Brasil. Entre os dez Trend Topics da rede, sete são relacionados ao tema. Já o termo “Carrefour” alcançou o primeiro lugar dos assuntos mais comentados no mundo.

Luto no CNJ

Já o presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luiz Fux, pediu nesta sexta-feira, 20, durante evento organizado pelo órgão pelo Dia da Consciência Negra, um minuto de silêncio em homenagem a João Alberto.

“Independentemente de versões, o que nos deve preocupar é a violência exacerbada. Toda violência é desmedida e deve ser banida da nossa sociedade. Mas esse é um triste episódio, exatamente no momento em que nós comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra”, disse Fux sobre o crime. “Esse minuto de silêncio é um dever de todo brasileiro”, acrescentou em seguida.

Nesta sexta-feira, o CNJ firmou uma parceria de combate à discriminação no Judiciário com a Faculdade Zumbi dos Palmares, instituição de ensino de São Paulo voltada para a qualificação e inclusão de jovens negros, criada pelo advogado José Vicente, fundador da organização não governamental (ONG) Afrobras.

“Faz parte do nosso sonho o dia em que todos poderão andar livremente pelo nosso país independentemente da sua raça ou da sua cor de pele, o dia em que nosso Estado Democrático de Direito vai permitir que nós de fato sejamos cidadãos de primeira classe, e não sejamos submetidos a essa brutalidade da cena social de todos os dias”, disse Vicente durante a solenidade. “Queremos render nossas condolências a essa família destroçada.”

Fonte: D24am. Leia mais em https://d24am.com/politica/no-cnj-fux-faz-minuto-de-silencio-por-negro-morto-em-supermercado/

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.