Suframa quer impulsionar mercado de games em parcerias com instituições do Amazonas

Durante o evento, anúncios importantes foram feitos, como a ideia de transformar Manaus em um centro da indústria gamer (Reprodução)
Mencius Melo – Da Revista Cenarium*

MANAUS – A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) participou do evento “Ludus LAB Summit 2023: games e metaverso e entretenimento digital”, nos dias 9 e 10 de março, no Laboratório de Tecnologia, Inovação e Economia Criativa da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), localizado na Escola Superior de Tecnologia (EST), na Avenida Darcy Vargas, 1.200, bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus.

Integrantes das instituições, como UEA e Suframa, durante o evento que propõe transformar Manaus em um polo nacional de jogos eletrônicos (Divulgação/UEA)

Na abertura do evento, o superintendente adjunto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica da Suframa (SDI) substituto, Leopoldo Montenegro, fez uma análise da indústria de jogos eletrônicos e as formas de consumo no Brasil. “A indústria de games é gigante no nosso País. Ela faturou, em 2022, mais de USS 2.5 bilhões e vem sofrendo algumas mudanças, pois, jogos que antes eram consumidos no computador passaram a ser consumidos também nos smartphones, que chamamos de aplicação mobile”, observou.

Leia também: Sindicato dos professores da UEA apoia nome de Zé Ricardo para superintendência da Suframa

Hub

Leopoldo Montenegro adiantou iniciativas que podem alavancar ainda mais o segmento, como a criação de hub, ações transversais, a possibilidade da capitalização e financiamento de startups, com recursos de PD&I. “A primeira será a criação de um hub de inovação, desenvolvimento e comercialização de jogos eletrônicos e digitais, que poderá tornar Manaus o maior Hub Gamer da América Latina. Outra prioridade é o investimento na formação e capacitação de mão de obra, para que a demanda do setor seja suprida por profissionais locais”, declarou.

PUBLICIDADE
A UEA tem se notabilizado por criar ambientes em que a ciência e a criatividade se transformam em know how para a construção de um polo de jogos eletrônicos no Norte do País (Divulgação/UEA)

Conforme o cientista-chefe Jucimar Maia Jr., a UEA está contribuindo, no movimento, na área de jogos em Manaus. “Faremos tudo o que for possível para cooperar na criação do polo digital de Manaus e no desenvolvimento do Amazonas”, detalhou ele.

Já a reitora em exercício da UEA, Profª Dra. Kátia Couceiro, comentou sobre a extensão do projeto para o interior do Amazonas. “Podemos ver o entusiasmo do professor Jucimar Júnior e o quanto ele acredita nos alunos e professores. Agora, estamos estendendo esse universo também para o interior. Antes, vivíamos um verdadeiro nicho voltado para esse desenvolvimento. Hoje, conseguimos ver, cada vez mais, essa área crescer dentro da nossa universidade”, afirmou.

De acordo com a UEA, o Ludus Lab já capacitou mais de 100 pessoas e contribuiu para o desenvolvimento de mais de 50 jogos em sua estrutura. Atualmente, há 60 bolsistas atuando somente no projeto Ad Astra (desenvolvimento de jogos eletrônicos). São alunos da UEA nos cursos de Sistemas de Informação, Engenharia da Computação e Licenciatura da Computação; e de Design, da Ufam. Nos outros projetos gerenciados pelo Ludus Lab – Callidus, Finance e Investment – , cerca de 400 alunos são beneficiados diretamente.

(*) Com informações da assessoria
PUBLICIDADE

O que você achou deste conteúdo?

Compartilhe:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.