Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
2 de agosto de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) – O Estado de Rondônia confirmou para o dia 19 de setembro a realização da 6ª edição do Festival Nacional do Tambaqui da Amazônia, que tem previsão de ocorrer simultaneamente em 30 municípios rondonienses, além de todas as 26 capitais brasileiras e Distrito Federal (DF). 

Todo o tambaqui assado no maior festival de peixe do País é pescado exclusivamente em Rondônia que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é a unidade da Federação responsável pela maior produção da espécie para o consumo.

Apenas em Rondônia, serão assados cerca de 24 mil quilos do peixe. (Reprodução/Governo de Rondônia)

Tambaqui para todo o Brasil

De acordo com a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), apenas nos 30 municípios de Rondônia, neste ano, serão assados aproximadamente 24 mil quilos de tambaqui, o equivalente a mais de 15 mil bandas do peixe.

Para isso, a aquisição do pescado é resultado de doações, enquanto que o processamento ocorre por meio de frigoríficos e agroindústrias. “Somos o maior produtor de peixe nativo de cativeiro do Brasil e agora vamos conquistar as capitais com o festival, onde teremos a oportunidade de mostrar a beleza, a grandeza e o sabor do nosso tambaqui. Em breve vamos levar nosso tambaqui para o mercado externo”, declarou em nota o secretário estadual de Agricultura, Evandro Padovani.

Ainda segundo a pasta, os interessados em experimentar e apreciar o sabor do peixe nativo da região amazônica poderão comprar tickets de forma antecipada para retirar o alimento já pronto para o consumo no dia do evento. As vendas acontecerão nos comitês organizadores de cada uma das 30 cidades de Rondônia, além das 26 capitais e do DF. 

O festival é uma iniciativa da Associação dos Criadores de Peixes de Rondônia (Acripar) em parceria com o Serviço de Apoio às Micro Empresas em Rondônia (Sebare), além do governo do Estado, por meio da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura de Rondônia (Sedi).

Expansão

Tradicional em Rondônia, com a primeira edição realizada em 2017, o Festival do Tambaqui da Amazônia tem título nacional, é visto como grande oportunidade econômica uma vez que viabiliza a promoção, divulgação e incentivo do consumo do peixe dentro e fora do Estado, além de abrir novos mercados e oportunidades de negócios, de acordo com a organização do evento. 

A expansão foi meta planejada ainda em maio deste ano pela Acripar, quando o vice-presidente, Edson Sapiras, participou de uma reunião com representantes do setor de aquicultura (ramo da produção de organismos aquáticos) e da pesca com o objetivo de definir as ações a serem executadas na Semana do Pescado, da qual a 6ª edição do Festival passa a fazer parte, que também ocorre em setembro.

A solidariedade é outro objetivo por trás do festival, pois, de acordo com a associação, todo o dinheiro arrecadado será revertido para trabalhos e instituições de apoio e assistência social.

Maior produtor de tambaqui e peixes nativos

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rondônia se mantém como o maior produtor de tambaqui do Brasil. Os dados foram divulgados em 2020 e são relativos ao ano anterior, quando o Estado produziu 40 mil toneladas do pescado, sendo responsável por 39,7% de toda a produção nacional. 

O tambaqui é a principal espécie criada em cativeiros de Rondônia e representa 90% de toda a produção de peixes nativos, liderada também pelo Estado em nível nacional de acordo com o Anuário Peixe BR 2020 da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). O Anuário destaca ainda que Rondônia “mantém-se com folga na liderança no segmento de peixes nativos de cultivo”. 

O Estado foi responsável por 68.800 toneladas de peixes nativos, seguido pelo Mato Grosso, com 46.280 toneladas e Maranhão, com 38.511 toneladas. Pará e Amazonas, com 25.005 toneladas e 20.596 toneladas, respectivamente, completam a lista dos 5 maiores produtores brasileiros.

Comparando todos os Estados da Amazônia Legal, as posições se mantêm, mas com a inclusão de Roraima, Tocantins, Acre e Amapá, respectivamente, nas posições finais. 

Ranking da produção de peixes nativos na Amazônia Legal

PosiçãoEstadoToneladas em 2019
Rondônia68.800
2º Mato Grosso46.280
Maranhão 38.511
Pará25.005
Amazonas20.596
Roraima18.400
Tocantins13.265
Acre4.336
Amapá1.016
Fonte: Anuário Peixe BR 2020