1 de março de 2021

Caroline Viegas – Da Revista Cenarium

PAÍSES BAIXOS – A capital amazonense mais uma vez foi pauta do jornalismo internacional. Desta vez, o jornal britânico “The Times” destacou na edição impressa desta sexta-feira, 15, o negacionismo de Bolsonaro como uma das principais causas do colapso pandêmico em Manaus.

O material destaca as condições no âmbito hospitalar da capital e narra os acontecimentos causados pelo desabastecimento de oxigênio, pautados na mídia brasileira. “A cidade é uma forte posse do presidente Bolsonaro, que tem se referido à Covid-19 como uma ‘pequena gripe’ “, diz a matéria.

Trecho em que o jornal destaca a capital do Amazonas (Reprodução/The Times)

A nota ainda menciona que a nova variante da Covid-19 passou despercebida pela autoridades de vigilância em saúde do Brasil, sob administração federal, além de atribuir méritos ao Japão a descoberta.

“A mutação se espalhou por semanas sem verificação e poderia ter afetado até mesmo aqueles que acreditam ser imunes após a primeira onda. Foram especialistas japoneses que alertaram o mundo para a nova variante após os testes de rotina em passageiros que chegam no país”, ressalta.

Responsabilidade federal

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), declarou na segunda-feira, 11, que já existem pesquisas da Agência de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS) monitorando a nova variante da Covid-19 na capital amazonense.

“Conversei com o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, que informou a existência de um estudo nesse sentido. E que, por enquanto, não há nenhuma evidência científica sobre essa variante, se ela é mais grave do que a outra ou não”, detalhou Lima.

De acordo com Lima, a atribuição de pesquisas sobre novas variantes é de responsabilidade do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). “Tudo isso está sendo estudado pelos técnicos do MS. Inclusive, o Brasil está em contato com Japão para acompanhar os estudos desenvolvendo paralelamente aos daqui”, concluiu o governador.

Omissão

Órgãos públicos de esferas estaduais e federais apresentaram uma Ação Civil Pública (ACP) à Justiça Federal afirmando que a responsabilidade pela crise do novo coronavírus é do próprio governo Federal. A medida foi acatada pela juíza federal Jaiza Maria Pinto Fraxe na quarta-feira, 14, e determinou que pacientes com Covid-19 do Estado sejam atendidos e transferidos para outros estados.

Uma “gripezinha”

Em novembro de 2020, durante uma das suas tradicionais lives, o presidente Jair Bolsonaro disse que nunca chamou a covid-19 de “gripezinha” e afirmou que não existe nenhuma gravação que mostre o contrário.

No entanto, em março do mesmo ano o presidente usou a expressão ao menos duas vezes publicamente. A primeira vez no dia 20 do referido mês, em uma coletiva de imprensa: “Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar, tá ok?!”.