Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Alessandra Leite – Da Revista Cenarium

Artigo II

“Fica decretado que todos os dias da semana,

 inclusive as terças-feiras mais cinzentas,

 têm direito a converter-se em manhãs de domingo”.

Os Estatutos do Homem

Thiago de Mello

MANAUS – Um dos filhos mais ilustres do Amazonas e um dos poetas mais amados da América Latina, Thiago de Mello, filho de Barreirinha, cedido para o mundo, completa 95 anos nesta terça-feira, 30, em meio a uma série de homenagens na capital amazonense. Na Câmara Municipal de Manaus (CMM), os vereadores abriram uma sessão solene, proposta por Marcelo Serafim (PSB), para celebrar o aniversário do escritor, a partir de uma iniciativa do Conselho Municipal de Cultura de Manaus (Concultura) e da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Impossibilitado de estar presente devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, o poeta foi representado pela filha Isabella Thiago de Mello e pela companheira, a poeta Pollyanna Furtado. “É muito bom ver Thiago comemorar seus 95 anos com a alegria de um menino, como ele canta em seus versos. Com o coração doce e muito brilho nos olhos, com a alma inocente e verdadeira de um menino”, agradeceu Pollyanna.

A escritora Pollyanna Furtado, companheira de Thiago de Mello, agradeceu a homenagem feita ao poeta (Oliveira Junior/Manauscult)

Emocionada, a filha do aniversariante, a produtora de cinema Isabella Thiago de Mello, agradeceu a homenagem, evocando suas reminiscências da infância, quando, vinda do Chile – onde nasceu – foi apresentada a Manaus e a Barreirinha por seu pai, que, segundo ela, sempre fez questão de transmitir seus sentimentos transfigurados em metáforas da floresta. “É possível conhecer a Amazônia lendo Thiago de Mello. Peço desculpas pela emoção, mas é um momento muito significativo para mim, que sou a filha do exílio, pois nasci no Chile e tenho o maior orgulho por ter sido registrada em Manaus. Eu sou manauara”, declarou, em lágrimas.

Aproveitando o momento da homenagem, Isabella fez um apelo aos parlamentares e aos membros da Manauscult, para que as casas construídas por Thiago de Mello, no município de Barreirinha – a partir de projetos assinados pelo arquiteto Lúcio Costa – possam ser tombadas com o pai ainda vivo. “Está em última instância no Iphan (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural). Gostaria de pedir para que a efeméride ocorra com Thiago de Mello vivo, para que ele possa ter essa alegria. Sabemos que o tombamento é um fato, mas gostaríamos que fosse uma homenagem com ele em vida”, reivindicou Isabella.

Filha do poeta Thiago de Mello representou o pai em homenagem na manhã desta terça, 30 (Oliveira Junior/Manauscult)

O evento foi transmitido pela Internet e está disponível para acesso no Facebook da Câmara Municipal de Manaus.

“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce”

Com esses versos do poeta português Fernando Pessoa, o escritor e presidente do Concultura, Tenório Telles, abriu a sua fala em homenagem a Thiago de Mello, cujas vida e obra se constituíram dessa forma. “Fernando Pessoa afirmava que a poesia não é só uma dádiva dos homens, mas uma dádiva de Deus. Dessa forma se constituiu a história de vida desse poeta, que é um dos mais importantes do mundo, bem como um dos mais amados da América Latina”, destacou Tenório.

O poeta e presidente do Conselho Municipal de Cultura de Manaus, Tenório Telles (Oliveira Junior/Manauscult)

Para o presidente do Concultura, a homenagem a Thiago de Mello é, talvez, um dos momentos mais importantes vividos no Brasil nesta terça-feira. “Thiago escreveu um dos poemas mais importantes do mundo, celebrado pela ONU e pela Unesco, que é “Os Estatutos do Homem”. Esta casa do povo está escrevendo um capítulo na biografia de Thiago, onde estamos reunidos para celebrar a vida dadivosa desse poeta fundamental para o Brasil, ressaltou Telles.

Tenório destacou, ainda, a coragem de Thiago de Mello ao enfrentar os anos de chumbo em que o Brasil sofreu com a falta de liberdade, imposta pela implantação do regime militar, em 1964. “Se tem uma palavra que define Thiago, essa palavra é coragem. Ele teve coragem de enfrentar um dos momentos mais difíceis do nosso País, em que fomos privados da liberdade. Ele teve coragem para enfrentar a prisão, o exílio com destemor e altivez. Sua poesia é um hino em defesa da coragem e da esperança. Thiago é um poeta da liberdade, da esperança, da justiça e da solidariedade humana”, declarou o presidente do Concultura e também poeta, Tenório Telles.

Confia série de homenagens que a Revista Cenarium fez ao poeta ao longo do mês de março.

Exposição Thiago de Mello 95 anos de vida, poesia e amor por Manaus