Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

MANAUS – Um ofício que solicita o deslocamento das Forças Armadas para a fiscalização, prevenção e combate às queimadas florestais no Tocantins, foi enviado nesta terça-feira, 11, ao presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido). No pedido, o governador do estado, Mauro Carlesse (DEM), destaca que fumaça de incêndios florestais pode agravar casos de doenças respiratórias e sobrecarregar o sistema de saúde já fragilizado pela pandemia do novo coronavírus.

Carlesse afirma que é necessário aumentar a atuação do Executivo. “Seguimos administrando a sobrecarga de seus órgãos e entidades, destacando a Secretária de Estado de Saúde, devido a este período pandêmico. Isso significa que incêndios florestais, em um momento como este, podem agravar problemas respiratórios, com risco a saúde da população, a cobrar melhores resultados por parte de uma estrutura que já opera no limite de sua capacidade”, afirmou o governador.

Além disso, a região possui duas bases dos militares do Exército e da Marinha, que podem auxiliar o deslocamento de soldados que deverão atuar no combate das queimadas na faixa de divisa de Tocantins, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental bem como em outras áreas federais.  

No ofício, o governador destaca a importância da Amazônia e cita a importância da conservação e preservação da floresta. “A proporção das queimadas, a velocidade do alastramento do fogo, a dificuldade de acesso às áreas atingidas, bem como a insuficiência de meios – financeiros, humanos e materiais – para combater o fogo, potencializam o tamanho da destruição e gravidade do problema”, diz o texto.

Apesar da sugestão de Carlesse, ainda não é possível determinar quais forças federais podem ser empregadas no trabalho preventivo aos focos de incêndio no Tocantins, que segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), já foram contabilizados 4.049 focos de queimadas desde janeiro deste ano.

O titular da Secretária de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Renato Jayme, destaca a relevância das instituições ao atuarem na prevenção e no combate às queimadas. “Os órgãos ligados ao meio ambiente desenvolveram papéis de extrema importância na redução dos índices de incêndios no Tocantins. No ano passado, atuamos junto com instituições parceiras que fazem parte do Comitê do Fogo, realizando o dia D de combate às queimadas. E, agora, podemos ver os resultados positivos que alcançamos por meio das ações de educação ambiental desenvolvidas na época”, afirmou.

(*) Marcele Fernandes, sob supervisão de Carolina Givoni