Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações do Metrópoles

Rio de Janeiro – A juíza Nearis Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói (RJ), deu prazo de 48 horas para que a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ) explique as falhas apresentadas em sua tornozeleira eletrônica.

Laudo da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro apontou que o equipamento falhou 11 vezes entre outubro do ano passado e fevereiro deste ano. Nesse ínterim, o dispositivo ficou desligado por quase 17 horas.

De acordo com o documento, o motivo seria o fim da carga da bateria do equipamento. A Seap informou que cabe ao usuário da tornozeleira a responsabilidade de mantê-la carregada.

Em 15 ocasiões, Flordelis não se encontrava em casa no horário estabelecido pela magistrada, das 23h às 6h. Em 14 delas, a parlamentar estava em deslocamento para Brasília.

A deputada é acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. Ele foi morto com mais de 30 tiros, em Niterói, em 2019. Ela responde pelo crime em liberdade, mas com a obrigação de usar tornozeleira eletrônica.

Flordelis tem imunidade parlamentar e só pode ser presa em flagrante delito por crime inafiançável, conforme determina a Constituição Federal.