Universidade federal do AM lança cartilha em língua indígena para orientar alunos sobre Covid-19

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium*

MANAUS – A pandemia do novo Coronavírus mudou o modo de vida do planeta. Nesse sentido, recentemente, a unidade acadêmica da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) em Benjamin Constant ( a 1.118 quilômetros de Manaus) viu a necessidade de orientar seus 570 alunos autodeclarados indígenas e resolveu criar uma cartilha na língua Ticuna.

De acordo com o docentes, foi iniciado um trabalho de orientação, a partir da elaboração de cartilhas, com objetivo de levar as informações aos povos indígenas das diversas comunidades do Alto Solimões.

A nova cartilha foi elaborada pela professora Taciana de Carvalho Coutinho, pelo professor Tales Vinícius Marinho e pelos alunos indígenas. A publicação contém orientações quanto à importância do uso de equipamentos de proteção no combate à Covid-19.

Cartilha foi elaborada por docentes da Ufam (Reprodução)

“Eu e o professor Tales Vinícius Marinho resolvemos elaborar um material para contextualizar conceitos biológicos abordados na área de microbiologia, demonstrando, dessa forma, aos alunos e à comunidade, a integração de informações técnicas e científicas atreladas aos conhecimentos tradicionais indígenas, referentes a informações gerais sobre o novo Sars-CoV-02, enfatizando o ciclo de reprodução, as principais formas de transmissão, sintomas e algumas medidas de prevenção em língua Ticuna” declarou a professora.

A partir de agora, os alunos indígenas farão a divulgação do novo material na rede de Contatos do WhatsApp e nas bocas de ferro (alto-falantes) do município.

(*) Com informações da assessoria

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO