Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Náferson Cruz – Da Revista Cenarium

MANAUS – “Neste momento de dor e consternação, só nos cabe pedir a Kanavõa (Deus) que lhe ilumine, lhe dê paz e conforte sua família”. A frase foi proferida por Felipe Marubo, presidente da Oami – Organização das Aldeias Marubo do Rio Ituí, em lamento à morte do líder indígena Benedito Dionísio, o Keni-nawa, de 70 anos, vítima do novo coronavírus.

As palavras de consolo e sentimento de perda expostos nas palavras de Felipe Marubo traduz, veementemente, a dor das centenas de famílias indígenas que perderam seus entes para a doença. Até a quinta-feira, 27, foram 736 óbitos e 28.093 casos confirmados de Covid-19, segundo o levantamento fornecido pela Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) que aponta 736 óbitos de indígenas mortos pela Covid-19. O panorama geral aponta ainda para 155 povos afetados.

Com mais de 7 mil habitantes, a Terra Indígena do Vale do Javari (TIVJ), localizada no extremo Oeste do Amazonas, vem sendo duramente atingida pela moléstia. Dados recentes apontam que foram diagnosticados na região mais de 150 casos de indígenas infectados pela Covid-19. Ao menos três mortes de indígenas foram confirmadas. Keni-nawa, como era chamado na língua Marubo, foi mais uma vítima da sombria estatística. Ele atuava como professor na comunidade Vida Nova, no Vale do Javari.

Dados recentes apontam que foram diagnosticados na região mais de 150 casos de indígenas infectados pela Covid-19. (Ester Maia/Funai)

O líder indígena veio a óbito por volta das 8h, do dia 25 de agosto, ele estava internado no Hospital Frei Roberto de San Severino, no município de Guajará. Por seu relevante serviço dedicado à educação indígena, 16 comunidades no Vale do Javari prestaram condolências ao professor.

Em nota publicada nesta quinta-feira, 27, Felipe Marubo lamenta a perda do ancião indígena. “Agradecemos imensamente o tempo que podemos conviver com ele, que será sempre lembrado pelo seu profissionalismo, honestidade, lealdade e sensibilidade para lidar com as adversidades e conflitos humanos”, completou o gestor da Oami.

Lideranças indígenas fazem apelo

Lideranças que atuam na defesa dos índios isolados da Terra Indígena Vale do Javari, região do Amazonas que concentra o maior número de indígenas sem contato com não índios em todo o mundo, enviaram, recentemente, uma carta de apelo a representantes da Funai e da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), do Ministério da Saúde, para que tomem medidas que evitem o alastramento da Covid-19 entre seus povos.

No documento assinado pelo vice-coordenador da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Varney da Silva Tavares Kanamary, os indígenas relatam que já foram confirmadas duas mortes na região, de Yovempa Marubo e Maria Tyawih Kanamary.

“A Univaja teme que uma tragédia ainda maior chegue até os povos isolados e de um recente contato (Korubo e Tsohom Djapá) com nossa terra. Infelizmente foi necessário a doença adentrar em nosso território, possivelmente por funcionários da Sesai, para que protocolos mais rígidos de quarentena e testagem fossem adotados pelas equipes do governo”, afirma o documento.