Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
12 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou um inquérito civil para apurar atos de improbidade administrativa contra o vereador da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Rosivaldo Cordovil (PSDB), em um esquema de “rachadinha”. Nessa prática, o parlamentar recolhe parte dos salários dos assessores de gabinete.

O esquema é considerado um crime que pode levar à cassação de um político e ocorre quando o salário de um assessor é desviado para a conta de um parlamentar ou secretário, em acordo estabelecido entre as partes como exigência de determinado órgão. A abertura do inquérito foi publicada no Diário Oficial do MP-AM dessa segunda-feira, 3.

O procedimento preparatório foi instaurado em junho de 2020 pelo MP-AM. O objetivo era identificar todos os possíveis envolvidos em ato de improbidade administrativa, por conta da suspeita de desvio de verbas parlamentares praticado pelo vereador. À época, a investigação tramitou em segredo de Justiça e foi conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-AM.

O inquérito civil é assinado pelo promotor de Justiça Edgard Maia de Albuquerque Rocha que solicita informações detalhadas acerca do andamento do procedimento instaurado.

A REVISTA CENARIUM entrou em contato com o vereador questionando sobre a instauração do inquérito civil e as acusações sobre o esquema de rachadinha, mas, e até a publicação desta matéria, a reportagem não obteve retorno.

Veja o inquérito civil:

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, durante entrevista coletiva à imprensa no Palácio do Planalto