Vídeo: Flávio Bolsonaro troca acareação do MPF por dança do ‘boga’ em Manaus

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com acareação agendada para esta segunda-feira, 21, pelo Ministério Público Federal (MPF), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) preferiu trocar o depoimento pela dança da música que o apresentador nacional Sikêra Júnior costuma cantar durante seu programa de televisão: “yoga, yoga, yoga, todo maconheiro dá o boga“, diz trecho da canção.

Ao lado do irmão Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de São Paulo, o parlamentar cumpre agenda em Manaus, no Amazonas, onde aproveitou o momento para visitar uma emissora local, que tem jornal policial transmitido para todo o País. O momento foi compartilhado pelo próprio irmão do senador nas redes sociais.

“Assim terminou a gravação do Brasil Precisa Saber com @Sikerajr. Vai ao ar neste sábado, 18h, no canal “Eduardo Bolsonaro” no youtube”, escreveu o filho do presidente Jair Bolsonaro.

Nova data

A acareação com o empresário Paulo Marinho foi marcada pelo Ministério Público Federal (MPF) para esta segunda-feira, 21, como parte da investigação sobre vazamento de dados sigilosos sobre Fabrício Queiroz antes das eleições de 2020.

O senador quer usar a prerrogativa do cargo para marcar o encontro no dia 5 de outubro em seu gabinete, em Brasília. O procurador Eduardo Benones, responsável pela investigação, diz que a prerrogativa de Flávio não se encaixa em casos de acareação e que ainda definirá nova data e local. Marinho, por sua vez, recusa-se ir a Brasília em razão da necessidade de entrar num avião durante a pandemia.

Ao MPF, Flávio alegou que está em agenda no Amazonas. Benones afirmou que ainda não recebeu a petição da defesa do senador. Disse que, caso não haja justificativa legal condizente para a ausência, representará contra o senador pelo crime de desobediência

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO