Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
3 de agosto de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – “Um dos PMs (Policiais Militares) tenta quebrar o meu braço e o outro, como estão vendo, me defere um tapa no rosto. Não estava com drogas, estava apenas pedindo o meu celular”. O relato da estudante de jornalismo Rhyvia Araújo, de 18 anos, revela a truculência durante uma abordagem policial ocorrida nesta quarta-feira, 7, no centro da capital amazonense, que apenas em 2019 acumulam 241 denúncias ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

A jovem redatora do portal Rap Forte contou que o possível abuso de autoridade aconteceu após o policial suspeitar que estava sendo filmado em uma abordagem anterior. Rhyvia afirma que estava saindo do trabalho, e havia parado para descansar em uma praça do Centro da capital amazonense, enquanto uma equipe de policiais patrulhava uma região próxima ao local.

Relato da vítima em uma rede social (Reprodução/Facebook)

“(Eu) Não estava com drogas, estava apenas pedindo o meu celular, pois o mesmo pediu para ver. Após pedir, fui xingada e humilhada”, contou a jovem, em uma publicação nas redes sociais.

Em Manaus, as denúncias de abuso de autoridade cometidas por policiais são maioria nas Promotorias de Controle Externo da Atividade Policial, do Ministério Público do Estado (MP-AM). Os casos registrados no órgão ministerial equivalem a a 57,8% do total de 417 registradas no período.

Policiais afastados

Por meio de nota, a PM-AM disse ainda que não compactua com abusos, excessos e comportamentos que contrariem a lei e a ordem, e que a Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da PM-AM está acompanhando o caso.

“Ressaltamos que os policiais serão afastados de suas atividades operacionais até a conclusão do processo. Todos os elementos apresentados durante a ação investigatória serão apurados da forma transparente que o caso requer, respeitando o direito ao contraditório e à ampla defesa”, disse a PM, em nota.

Veja ao vídeo

Repercussão

O caso ganhou repercussão nacional e chegou a ser compartilhado pelo deputado federal de São Paulo, Alencar Santana Braga (PT-SP), e pela página Mídia Ninja, que tem mais de dois milhões de seguidores nas redes sociais.

“É assim que a polícia de Manaus trata as mulheres: com violência! A violência policial assim como a violência contra as mulheres, infelizmente, não são novidades para a maioria dos brasileiros”, lamentou a página.

View this post on Instagram

[GATILHO: Policial agride mulher] ABSURDO! É assim que a polícia de Manaus trata as mulheres: com violência! A violência policial assim como a violência contra as mulheres, infelizmente não é novidade para a maioria dos brasileiros. Na última terça-feira (6), em plena luz do dia no centro da capital do Amazonas, a jovem Rhyvia Araújo (@rhyviiaaraujo), de 18 anos, foi vítima de um ato covarde cometido justamente por alguém que deveria estar servindo e protegendo a cidadã. Rhyvia Araújo faz parte da equipe de redação do portal Rap Forte (@rap.forte) e de acordo com uma reportagem do site, a estudante de jornalismo está extremamente abalada com o ocorrido e mesmo correndo risco de represálias por parte da polícia decidiu tornar público o vídeo feito por @parislleal no qual mostra o momento da abordagem. A jovem detalhou ao Rap Forte que o “motivo” dessa agressão foi por o policial acreditar que estava sendo filmado numa abordagem anterior. "A nossa colaboradora espera que através desse fato lamentável possamos dar maior visibilidade para o incontável número de mulheres que passam por situação parecida, seja em casa por meio de seus companheiros, ou até mesmo gratuitamente na rua", diz a reportagem do portal. Além disso, a jovem que registrou o momento, contou em seu instagram que, após as filmagens foi "perseguida e intimidada (o policial apertou meu braço e tentou me forçar a deletar o vídeo, na frente de todas as pessoas que estavam no local) pelos dois policiais que estavam praticando tamanha truculência contra uma mulher." Siga a @casaninjaamazonia e saiba mais sobre outros assuntos da região. #violenciapolicial

A post shared by Mídia NINJA (@midianinja) on

“Revoltante! Ontem, a jovem Rhyvia Araújo foi agredida por um policial em Manaus. Ele se justificou dizendo que havia sido filmado em abordagem anterior”, relembrou o deputado.

Direito de ir e vir

A Promotora de Justiça Christiane Dolzany Araújo destaca que a atuação dos agentes policiais é limitada por parâmetros como: o respeito aos direitos das pessoas (ir e vir, livre manifestação de opinião, integridade física e psíquica), a observação dos procedimentos legais e o estrito cumprimento do dever.

“Todo esse trabalho tem por objetivo educar a atuação policial, prevenir e punir a eventual prática de crimes e é, mediante essa resposta estatal do Ministério Público às condutas ilegais, ilícitas, abusivas, que conseguimos atender os anseios da sociedade e das vítimas”, aponta a promotora de Justiça.

Como denunciar abusos policiais?

As denúncias podem ser feitas online pelo endereço eletrônico do MP-AM, ou pelos telefones 0800 092 0500 / 0800 720 5100, ou diretamente às Proceaps (3655-0643 / 0646).