Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

Manifestantes chilenos foram as ruas para comemorar um ano do início dos protestos iniciados em 18 de outubro de 2019. Duas igrejas do epicentro dos protestos foram queimadas em Santiago, no Chile, e a uma semana do processo eleitoral mais importante das últimas três décadas: o plebiscito de 25 de outubro, que definirá o destino da constituição vigente, de 1980.

A capela dos Carabineiros San Francisco de Borja, que foi continuamente atacada nesses meses, e a paróquia Asunción, foram as duas igrejas incendiadas. Em diferentes regiões da capital foram registrados saques a supermercados e barricadas no começo da noite.

Postagens dos incêndios durante as manifestações que marcam um ano do início dos protestos no Chile começaram a pipocar nas redes sociais no último domingo, 18.

Durante o protesto os chilenos exigem maior igualdade social no País. Os atos terminaram em confronto e vandalismo e se concentraram na praça central de Santiago.

A pequena igreja de Santiago foi a segunda a ser atacada por encapuzados. O ataque ocorreu após várias horas de manifestação pacífica que ocorria próxima ao local.

Após o incêndio, a cúpula da estrutura desmoronou, gerando comemoração por parte dos manifestantes.

(*) Com informação das redes sociais