8 de março de 2021

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – Após a viralização de uma sátira de vídeo machista nas redes sociais de Manaus nesta terça-feira, 23, a influencer digital Bruna Gabriela contou detalhes à REVISTA CENARIUM sobre ofensas que recebeu de um empresário conhecido como Bruno Guedes em um grupo de WhatsApp.

De acordo com informações divulgadas por Bruna, o empresário teria feito comentários pejorativos sobre uma viagem feita pela influencer nos últimos dias. “Você só viaja se você for patrocinada, se você não for, você não viaja”, disse Bruna. Em outro momento, Bruna diz que ela mesma já gastou o próprio dinheiro com viagens e que a ofensa só ocorreu pelo machismo.

“Nós, mulheres, pagamos um preço muito grande por ser livre. Estou sendo exposta só por ser livre, por ter o meu jeito de viver a vida, de querer viajar e estou sendo julgada, estou sendo taxada de prostituta. Sei da família que vim, eu sei do meu caráter”, destacou.

Pronunciamento de Bruna Gabriela (Reprodução/Internet)

Ainda no vídeo, Bruna cita que o empresário quis pagar uma pizza em troca de relações sexuais. Um print também mostra uma conversa entre os dois, o qual Bruna afirma: “Quando eu for item de algum boi, vai que tu me dá alguma moral”. O trecho faz referência ao antigo relacionamento do empresário com a ex-cunhã-poranga do Boi Caprichoso, Maria Azêdo.

Linchamento virtual

Para a psicóloga Leyane Goes, a frequência de brigas desse tipo são mais comuns e influenciam em dois pontos. “Um para o lado da prática do machismo. Em que alguns homens e até mesmo mulheres confirmam versões sobre alguém para colocar ‘fogo na lenha’ e promover o linchamento virtual”, detalha.

“Por outro lado, temos pessoas mais conscientes que vendo esse tipo de conduta tentam mostrar que não é certo. Identificando atitudes machistas por trás das palavras proferidas contra alguma mulher”, explica.

Leyane explicou ainda que temos uma “cultura de julgamento” quando se trata de mulheres. “Sempre é o lado que mais sofre consequências, mas com a ascensão do feminismo, muitas mulheres têm sororidade com outras, e mostram a força do coletivo. Infelizmente sempre vai existir pessoas ‘passando pano’ para atitudes erradas”, completa a profissional.

Agressões

Anteriormente a ex-cunhã-poranga do Boi Caprichoso Maria Azêdo usou as redes sociais para denunciar o então ex-marido, o empresário Bruno Guedes, por ter invadido a casa onde vive. Nas imagens, Maria mostrou uma foto com a marca de uma possível agressão com a legenda: “Ele disse que foi só um tapinha”.

Maria informou também que após a separação com Bruno, o empresário invadiu o apartamento dele, levou objetos pessoais, eletrônicos e até uma cadela de estimação. “Ele é proibido de entrar no nosso condomínio, mas teve acesso após pular a janela do quarto. Eu tenho medida protetiva, tenho boletim de ocorrência contra ele por violência doméstica”, disse a ex-cunhã.

Pronunciamento de Maria Azêdo (Reprodução/Internet)

Em contrapartida, Bruno também usou as redes sociais para responder as denúncias. Durante uma live, o empresário afirmou que nunca agrediu a ex-esposa. “Nunca bati na Maria, não. Pelo contrário, ela que me batia”, disse.

Ao ser questionado pelos seguidores sobre as marcas de agressão expostas por Maria, ele respondeu. “Ela postou uma foto. Eu dei um tapinha nela de quatro dedos na perna dela. Mano, para que!?”, exclamou o empresário.

Pronunciamento de Bruno Guedes (Reprodução/Internet)

O empresário Bruno Guedes foi procurado pela equipe da REVISTA CENARIUM para responder questionamentos sobre a nova polêmica, mas preferiu não se pronunciar.