7 de março de 2021

Ana Pastana – Da Revista Cenarium

MANAUS – O abuso psicológico pode ser mais grave que uma agressão física, de acordo com psicólogas e psicoterapeutas entrevistados pela REVISTA CENARIUM, nesta quinta-feira, 4, as vítimas, na maioria das vezes, não conseguem reconhecer a violência. O tema veio à tona após uma troca de agressões verbais entre participantes do Big Brother Brasil (BBB).

A psicoterapeuta Samiza Soares diz que pouco se fala sobre os danos causados à saúde emocional e física. “A realidade de muitas famílias só vai mudar por meio do esclarecimento, quanto mais pessoas tiverem ciência do assunto mais aumentará a possibilidade das vítimas reconhecerem que são de fato vítimas e assim buscarem ajuda”, diz a profissional.

O abuso geralmente acontece de forma gradual, de acordo com a psicóloga clínica Tallyne Silva. “O primeiro ponto a identificar é quando o abusador nega os fatos e principalmente nega o que a pessoa está sentindo ou comunicando. Quando você se sente confusa ou até mesmo duvida de si mesma, quando tem medo de comunicar a outras pessoas o comportamento do abusador”, informa a psicóloga.

Danos

Tallyne diz que os danos não estão ligados a marcas físicas, mas podem ser fator desencadeante para uma série de transtornos mentais. “Além disso, isso pode afetar negativamente a autoestima da pessoa abusada. Ela se questiona sobre seu próprio valor. Em casos graves, pode até levar a pessoa ao suicídio”, explicou.

Samiza afirma que alguns vícios também podem ser sequelas da agressão. “Pessoas vítimas de abuso psicológico podem ser mais suscetíveis à depressão, ao uso de drogas ilícitas. Além do alcoolismo, distúrbios no sono e na alimentação e também a somatização de doenças”, informou a terapeuta.

Como identificar

A psicoterapeuta alega que o abuso emocional acontece em diversos ambientes e tem o objetivo de causar sofrimento. “Críticas maldosas, acusações, xingamentos, bem como desprezo, ironia e ameaças veladas são características comuns do abuso. Além do silêncio como forma de punição, controle de todos os passos da vítima fazem com que a pessoa perca o equilíbrio necessário para se ter uma vida plena”, ressaltou Samiza.

Samiza recomenda que a vítima não espere melhorar sozinho. “É importante entender o tamanho e o impacto do abuso psicológico. Quando o sofrimento é muito pesado e a pessoa não tem recursos internos para se livrar dele, é o momento de buscar ajuda. Ignorar o sofrimento tende a agravá-lo, é importante mentalizar que para se curar dos males causados por uma violência psicológica”, finalizou.

BBB 21

Karol Conká, participante do BBB 21, reprovou uma das atitudes de Lucas Penteado dentro da casa, fato que desencadeou uma série de agressões verbais, A cantora de rap influenciou outros “brothers” a excluírem Lucas, como forma de punição pelas atitudes ruins, consideradas por ela.

O caso repercutiu nas redes sociais e causou revolta nos internautas que pediram a expulsão da confinada. A cantora perdeu contratos e parcerias. Já Lucas pediu desculpas várias vezes, mas continuou sofrendo com os abusos que, de acordo com as características citadas pelos profissionais, são consideradas agressões psicológicas. A direção do programa não se pronunciou diretamente sobre a situação.