26 de fevereiro de 2021

Com informações da assessoria

MANAUS – O perfil clínico dos casos de covid-19 no Amazonas atualizado aponta que pessoas com idade entre 20 e 59 anos representam 76%, em média, do número de infectados pelo novo coronavírus no estado. É o que indica o Boletim Epidemiológico Ampliado de Covid-19 nº 17, divulgado nesta sexta-feira, 5, pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

A análise é realizada a partir de dados do período de 13 de março a 30 de maio de 2020 (1º. pico), comparados aos do período de 13 de dezembro de 2020 a 2 de fevereiro de 2021 (2º. pico). Conforme o boletim, o grupo mais acometido pela doença continua sendo as pessoas da faixa etária de 20 a 59 anos, tanto as mulheres (77%) quanto os homens (75%).

Uma mudança no cenário atual é o aumento do número de hospitalizações de pessoas com idade entre 20 e 59 anos. O diretor-presidente da FVS-AM em exercício, Cristiano Fernandes, alerta que essa é uma situação diferente do registrado em 2020.

“Em março, abril e maio do ano passado, estávamos no primeiro pico da doença e a maior proporção de internados era quem tinha 60 anos ou mais. Em 2021, os mais internados são, principalmente, os homens mais jovens”, afirmou.

Fator de risco

Ainda sobre as internações hospitalares, o boletim ampliado aponta que em 2020, a maioria das pessoas (81%) que necessitaram de internação em leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) apresentavam algum fator de risco. Nesta segunda onda, apenas 64% das pessoas internadas em UTI apresentavam alguma comorbidade, isto é, mais pessoas sadias estão sendo internadas em leitos de UTI em decorrência da covid-19.

A taxa de letalidade por covid-19, em 2021, é de 5%, isto é, a cada 100 pessoas infectadas, cinco evoluem para óbito. Essa letalidade é o dobro da média no Brasil, que é de 2,4%. O boletim ampliado apresenta que a maior proporção dos óbitos por covid-19, registrados no estado, é de pessoas da faixa etária de 60 anos ou mais para ambos os sexos.

No entanto, houve um aumento da proporção de óbitos na faixa etária de 20 a 59 anos que, em 2020, representavam 25% dos óbitos e, atualmente, compreendem 32% no sexo feminino e 39% do sexo masculino.

Evolução

O atual cenário epidemiológico também indica que, nesta fase da pandemia, estão evoluindo para óbito por covid-19 mais pacientes sem comorbidades, quando comparados com a primeira onda. Em 2020, 70% dos pacientes que evoluíram para óbito apresentavam pelo menos uma comorbidade. Em 2021, essa proporção reduziu para 57%.

O assessor da Sala de Situação do Amazonas, instalada na FVS-AM, Daniel Barros, analisa que componentes social e epidemiológico podem estar relacionados a esse novo cenário de covid-19 no estado.

“Possivelmente, a baixa adesão da população mais jovem às medidas de prevenção à covid-19, pela necessidade de trabalho ou não, pode estar relacionada a essa mudança no perfil demográfico dos casos. Esse é o grupo que mais se expõe ao risco de infecção desde o início da pandemia”, observou.

Outro fator que pode estar relacionado a esse novo cenário epidemiológico, segundo analisa Daniel, é a presença de uma nova variante do novo coronavírus no Amazonas, que pode ter maior potencial de gerar casos graves, inclusive em pessoas sem comorbidades. A FVS, juntamente com técnicos do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde, realiza investigações e análises para esclarecer essa relação.

Demais indicadores 

O boletim aponta, também, a análise comparativa entre os períodos que expôs um aumento de 50% nas hospitalizações em menores de 10 anos de idade. As 127 internações do primeiro período aumentaram para 190 no segundo período.

O perfil de infectados e internados com comorbidades permanece semelhante ao primeiro período analisado, prevalecendo a hospitalização de cardiopatas e pessoas com diabetes mellitus, nas faixas etárias de 20 a 59 e 60 anos ou mais. O boletim destaca, ainda, o aumento de 6,2% para 9,3% de pessoas com obesidade, na faixa etária de 20 a 59 anos entre os óbitos por covid-19.

Referência 

A FVS-AM é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, atua no monitoramento de doenças e está na linha de frente no enfrentamento à covid-19 no estado. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.