Casos do Novo Coronavírus na Amazônia Legal estão perto de 4 mil

Luana Dávila – Da Revista Cenarium

MANAUS – A Amazônia Legal tem 3.760 casos confirmados da Covid-19 pelas autoridades de Saúde nos nove estados que compõem seu território, nesta quinta-16. O Novo Coronavírus já se espalha de forma intensa e descontrolada em alguns Estados, com isso, governadores procuram cada vez mais medidas para evitar que o vírus continue se proliferando com rapidez.

Do último sábado, 11, para cá houve um crescimento de 1.615 casos, quando o número de infectados pelo vírus, na Amazônia, era de 2.145, o que representa um aumento de 75,29%.

Formada pelos Estados do Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre, Mato Grosso, Amapá, Maranhão e Tocantins, a Amazônia, apesar de ter a maior biodiversidade do planeta em flora e fauna, utilizada pela indústria farmacológica mundial, ainda não oferece a cura tão procurada para o vírus. O uso da cloroquina e seus derivados ainda são objetos de estudo, inclusive no Amazonas.

Todos os Estados já decretaram situação de calamidade pública e têm investido em políticas de prevenção para enfrentar a pandemia, que já matou 1.924 pessoas no País e que soma 30.425 mil infectados. Entre as medidas está a higienização e restrição de aglomerações. Por enquanto, o único remédio é o endurecimento do isolamento social.

Amazonas

Amazonas, o maior Estado da região com 1.571.000 km², já decretou estado de calamidade pública por 120 dias e confirmou 1.719 casos e 124 mortes, incluindo a do empresário de Parintins, Geraldo Sávio, de 49 anos.

O primeiro caso registrado foi o de uma amazonense, de 39 anos, que viajou para Londres, em março. Segundo a Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), a paciente já está recuperada e fora do período de transmissão da doença. Outro paciente que testou positivo para a doença, também está curado.

Entre as personalidades do Amazonas infectadas com a Covid-19, o caso mais recente é do escritor Tenório Telles, membro da Academia Amazonense de Letras (AAL). O vereador Isaac Tayah; o diretor da Fundação Oswaldo Cruz Sérgio Luz; o secretário municipal de Meio Ambiente, Antônio Nelson; o delegado de Polícia Civil Ivo Martins, entre outros também testaram positivo.

No Estado, os servidores públicos acima de 60 anos e gestantes irão trabalhar de casa. Todos os eventos com aglomerações foram suspensos, incluindo o Campus Party Transire Amazônia, o maior festival de cultura digital do mundo.

Os transatlânticos vindos de outros países também estão proibidos de desembarcarem em solo amazonense.

As aulas das redes municipal e estadual também foram suspensas pelo período de 15 dias – tempo que pode ser prorrogável – assim como comércios, shoppings, bares, restaurantes, públicos e casas legislativas, que também foram fechados e a fronteira com a Colômbia, entre Tabatinga (AM) e Letícia que se encontra bloqueada.

Acre

O Acre teve 101 casos confirmados para o Covid-19. O governador Gladson Cameli (Progressistas) afirmou que o Estado vai monitorar as fronteiras e o secretário de saúde, Alysson Bestene, pediu que os acreanos que estão chegando de outros estados ou países, principalmente, façam o esforço de ficar em casa por até sete dias, mesmo que não estejam com sintomas.

Pará

Segundo maior Estado da Amazônia, o Pará, tem 487 pessoas contaminadas. O governador Helder Barbalho (MDB), no último dia 16 de março, decretou algumas medidas de prevenção à pandemia como proibição de aglomeração de mais de 500 pessoas, a dispensa de servidores para que realizem suas atividades home Office, quando a mesma puder ser realizada de modo eletrônico ou telefônico, e a dispensa do grupo de risco.

Maranhão

O governo do Maranhão também está adotando medidas preventivas, e tem 695 casos confirmado do novo coronavírus. As mortes já passam de 20. No estado, as aulas forma suspensas pelo período de 15 dias. Restaurantes, bares e comércios também estão fechados, com exceção dos serviços de delivery e drive thru.

Roraima

O estado de Roraima confirmou 142 casos do Covid-19. Entre as principais medidas preventivas está o pedido de fechamento das fronteiras com a Guiana e a Venezuela, além da suspensão das aulas por 15 dias, com a antecipação das férias escolares do meio do ano e sem prejuízo para o calendário escolar, suspensão das visitas nos hospitais (acompanhantes não serão afetados), e sistema prisional. Apenas os serviços essenciais como farmácias, açougues, padarias e supermercados podem funcionar.

Mato Grosso

A secretaria de Saúde do Mato Grosso confirmou 151 casos no novo Covid-19. No último dia 25 de março, o estado decretou estado de calamidade pública. Com o documento, o governo fica dispensado de atingir os resultados fiscais e a limitação de empenho. Isso autoriza o estado a fazer despesas que não haviam sido previstas no orçamento, para conter a transmissão do vírus e oferecer os cuidados de saúde necessários.

Tocantins

Em Tocantins, há 30 casos confirmados do Covid-19. No estado, foi criado um comitê preventivo para monitorar o coronavírus, onde todas as orientações da OMS serão seguidas. O estado não apresenta nenhum caso confirmado, mas acompanha casos suspeitos.

Rondônia

Em Rondônia, com 73 casos confirmados da doença, o governador Marcos José Rocha dos Santos decretou situação de emergência por 180 dias e os servidores que viajaram para outros países ou estados onde há maior número de casos, deverá permanecer em casa por 14 dias. Os funcionários que puderem trabalhar em home office, se liberados por seus superiores, também poderão trabalhar em casa pelo mesmo período.

Amapá

No estado do Amapá 362 pessoas testaram positivo para o Covid-19. O governo irá reforçar a vigilância na fronteira com a Guiana Francesa, além de seguir todas as recomendações preventivas dos órgãos de saúde.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO