Lançamento de pré-candidatura de Lula e Alckmin destaca líderes indígenas e preservação da Amazônia

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS — O lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) neste sábado, 7, destacou lideranças indígenas do Brasil e do Amazonas, que também são postulantes a cargos eleitorais em 2022, além de evidenciar o ensejo da chapa do petista e do socialista com a preservação da Amazônia, que vem sendo altamente desmatada nos últimos anos. O evento aconteceu no Expo Center Norte, na zona Norte de São Paulo.

Em vídeos, líderes indígenas aparecem se pronunciando sobre a resistência e a luta a favor dos direitos das populações tradicionais, além da confiança depositada em Lula para assumir a Presidência da República. Pré-candidata a deputada federal pelo Amazonas, a técnica de enfermagem Vanda Ortega Witoto (Rede) foi um dos nomes que ganharam notoriedade durante o ato encabeçado por Lula.

Pertencente ao povo Witoto e natural do município de Amaturá (a 908 quilômetros de Manaus), Vanda Witoto apareceu ao lado de outros nomes influentes das populações indígenas, falando da violação de direitos das mulheres e se direcionando ao ex-presidente.

Vanda Ortega Witoto é pré-candidata a deputada federal (Reprodução/YouTube)

Já Alessandra Munduruku, vice-coordenadora da Federação dos Povos Indígenas do Pará, reforçou o ensejo dos povos tradicionais de serem consultados antes de projetos que impactam territórios indígenas serem votados no Congresso Nacional, seguindo o que determina a Convenção n° 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Alessandra Munduruku é vice-coordenadora da Federação dos Povos Indígenas do Pará (Reprodução/YouTube)

Sônia Guajajara, coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), também ganhou destaque ao falar com o petista sobre os ataques do Governo Bolsonaro às populações tradicionais e abordar sobre a retomada da demarcação dos territórios indígenas. No vídeo, a líder indígena lembra não ser fácil as reivindicações, mas afirma querer fazer a mudança junto com o ex-presidente.

Lula e Sônia Guajajara (Reprodução/Youtube)

Já o líder petista surge comentando a importância das lideranças indígenas em estarem perseverantes e resilientes em suportarem desaforos, ofensas, ataques, invasões e mortes sem desanimarem. Lula afirma que, a partir desse desempenho, ser possível “mudar esse País”.

“São pessoas como vocês que animam a gente a acreditar que é possível nós mudarmos esse País, fazer efetivamente um País para todos, e não para apenas um grupo de pessoas”, declarou Lula, no vídeo onde recebe apoio de indígenas de todo o Brasil.

Lula

A solenidade de lançamento da chapa de Lula contou com Alckmin apenas de forma virtual, já que o ex-governador foi diagnosticado com Covid-19 na sexta-feira, 6. Na cerimônia, participaram ainda partidos apoiadores à pré-candidatura do petista com o socialista, como o PCdoB, Solidariedade, Psol, PV e Rede, além de centrais sindicais, movimentos sociais e militantes das legendas.

No evento, o ex-presidente Lula discursou sobre as conquistas do governo dele (2002-2010), como a instalação do Minha Casa Minha Vida, em 2009, além de direcionar duras críticas ao atual governante do País. O petista também teceu comentários a favor da preservação da Floresta Amazônica e disse que cuidar do meio ambiente é, antes de tudo, cuidar das pessoas.

“Defender a nossa soberania, é defender a Amazônia da devastação posta em prática pelo atual governo. No nosso governo, reduzimos em 80% o desmatamento da Amazônia, contribuindo para diminuir a emissão dos gases do efeito estufa que tanto provoca o aquecimento global”, afirmou Lula.

“Os cuidados com o meio ambiente vão além da defesa da Amazônia e de outros idiomas, é preciso voltar investir em saneamento básico como fizermos, acabar com o esgoto a céu aberto e cuidar do lixo e das pessoas que vivem da coleta de materiais recicláveis. Cuidar do meio ambiente é, antes de tudo, cuidar das pessoas”, defendeu o petista.

No discurso, Lula também destacou a atuação do Sistema Único de Saúde (SUS) durante a pandemia da Covid-19, ante o desdém do Governo Bolsonaro. O petista também mostrou que vai buscar apoio ao setor cultural do País, também impactado pelo coronavírus.

Hipócrita

Já Alckmin chamou o Governo Bolsonaro de “hipócrita” e disse que o Brasil sobrevive hoje ao mais desastroso e cruel governo de sua história. O ex-governador defendeu ainda que sua aliança com Lula é a garantia da manutenção da democracia.

“Hipócrita no combate à corrupção, despreparado na condução da economia, ineficiente administrativamente e socialmente injusto e irresponsável. O que é mais necessário constatar para se concluir que o Brasil precisa de mudança?”, declarou Alckmin.

Alckmin também disse que “Lula é um prato que cai bem com chuchu” e reafirmou, durante pronunciamento em vídeo, que “esse será o prato da moda” ao falar do ex-presidente.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO