Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – O Mosaico Interativo do baixo rio Negro, da Fundação Vitória Amazônica (FVA), continua com os serviços de cursos disponíveis a quem deseja se qualificar. Os estudos são adaptados à rotina de cada aluno, com horários flexíveis. Para isto, basta o interessado procurar a unidade da FVA, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na Rua Puduari, s/nº, quadra 253, Novo Airão (a 117 quilômetros de Manaus). O Mosaico tem objetivo de proporcionar aos moradores qualificação aliada à educação socioambiental.

Os cursos, além do foco em educação ambiental, vão desde atendente de caixa de supermercado, pacote Office, até cursos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e idiomas. “É um gama bem variado de cursos que busca atender uma diversidade bem legal de público tanto do município como de cidades vizinhas” ressalta o coordenador executivo da Fundação Vitória Amazônica, Fabiano Silva.

Silva afirma que são mais de 70 cursos que não precisam aguardar pela formação de turmas para início das aulas com atendimento e tira-dúvidas personalizados e em sala de aula. Ao todo, são 20 computadores disponíveis para a população da cidade e das comunidades de Novo Airão que vivem nas unidades do Mosaico.

“Para a população do interior, a gente cobra uma taxa de manutenção de aproximadamente R$ 35 por mês ou R$ 4 por hora de curso e para àqueles que residem nas comunidades das áreas protegidas pode-se usufruir dos serviços gratuitamente”, conta o coordenador.

Fundação Vitória Amazônica -(FVA) (Reprodução/Divulgação)

Estrutura

De acordo com coordenador, o Mosaico do baixo rio Negro se configura como um conjunto de 12 de unidades de conservação (federais, estaduais e municipais) que são reconhecidos pelo governo federal como um Mosaico. “Isso significa, basicamente, que os governos reconhecem a necessidade que esse território seja gerido de uma maneira compartilhada para buscar uma maior eficiência e impacto na gestão socioambiental do território”, explica Fábio.

A Fundação Vitória Amazônica comporta o conjunto de três serviços do Mosaico Interativo. O primeiro é o intitulado “Descarte Correto”, em parceria com uma empresa de Manaus que trabalha com reciclagem de lixos eletrônicos. Eles recebem computadores de empresas do Distrito Industrial, reciclam as máquinas para voltarem a funcionar e montam, junto ao FVA, centros de capacitação digital em diversas localidades da capital e do interior.

Em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, o local dispõe de uma sala verde com conteúdo multimídia, biblioteca para os jovens e trabalhadores da localidade que precisem utilizar dos serviços e um mezanino com quatro computadores para o uso das cooperativas locais, que auxiliam na elaboração de documentos e pesquisas.

Parte da equipe que se dedica ao Mosaico Interativo (Reprodução/ Divulgação)

“Temos, inclusive, uma jovem da etnia dessana que gerencia o Mosaico Interativo. São 150 alunos alunos certificados desde a inauguração do Mosaico Interativo”, conta o coordenador.

Outras frentes

Segundo Fabiano Silva, deste ano até 2022, o Mosaico Interativo conta com o apoio do projeto “Rotas e Pegadas: Caminhos para a Sustentabilidade do Baixo Rio Negro”, do Instituto de Pesquisas Ecológicas, em parceria com o Fundo Amazônia.

“O Mosaico Interativo é um dos componentes deste grande projeto. Isso se insere em uma frente de ação de formação de lideranças e engajamento jovem para gestão territorial. Temos outras frentes voltadas ao fomento e ordenamento do turismo nesta região e uma outra linha olhando para a questão do ordenamento das pescas diversas e toda uma avaliação de risco socioambiental para o território. É um vasto trabalho”, finaliza o coordenador.