Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com a pandemia do novo coronavírus, a realidade de muitos brasileiros tem mudado. E com as pequenas empresas não foi diferente. A CENARIUM conversou com duas microempresárias para saber as expectativas, a rotina e a procura por presentes caseiros para o Dia dos Namorados, que será celebrado no sábado, 12.

De acordo com a proprietária da empresa de doces “Lusantosdoce“, em Manaus, Luana Ribeiro, as expectativas para a data comemorativa estão bem altas já que, apesar da pandemia, as vendas nesse período, no ano passado, foram maiores que o esperado. “Até o momento não batemos a meta, porém, a maioria das pessoas deixam para comprar na última hora. Foi na pandemia que nós ficamos mais conhecidos, alcançamos mais seguidores, a quantidade de clientes aumentou muito, o delivery foi nosso diferencial”, destacou.

Luciana conta ainda que mesmo com as coisas voltando à normalidade, muitas pessoas ainda optam por receber seu pedidos em casa. “Eu trabalho junto com o meu companheiro, o Leonardo Soares, ele é professor, mas, com o término de contrato, nossa empresa que até então era nossa renda extra, se tornou nossa única fonte de renda. Nós não temos loja física, trabalhamos da nossa casa mesmo, e as vendas são feitas todas de forma online”, ressaltou.

Para a microempreendedora e proprietária da “Cecilia Confeitaria“, Karla Almeida, as vendas aumentam nas datas comemorativas. “Esperamos que este ano, também, no Dia dos Namorados, recebamos bastante pedidos, porque quem não ama receber um docinho de presente, não é? Além disso, estamos com várias novidades este ano e percebemos que os clientes estão à procura de presentear com algo diferente e marcante, como nosso buquê de donuts que está saindo bastante, por exemplo”, ressaltou.

Logística

Sobre a logística para entrega, a empreendedora Karla explicou como são feitas as entregas. “Nós pegamos pedidos pela manhã, preparamos e entregamos normalmente pela tarde ou final da tarde dependendo do produto que o cliente escolheu, também aceitamos pedidos por encomenda que são os personalizados que demandam mais atenção, então, começamos a preparar pela manhã bem cedo. Nós preferimos fazer todos os produtos no dia, e entregar um produto bem feito e de boa qualidade”, explicou Karla sobre a rotina de produção da loja.

Sobre a pandemia, ela destaca que apesar das vendas terem reduzido bastante em comparação com 2019 ou até mesmo 2020, no final “dá tudo certo”. “Acredito que presentear com algo mais artesanal ou “feito a mão” tenha mais significado, seja mais especial e romântico, algo único pra dar de presente”, disse.

(Reprodução/Instagram)