Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações do Correio Brasiliense

BRASÍLIA (DF) – A Polícia Federal trabalha em ações para conter o avanço de centenas de balsas de garimpo ilegal que estão reunidas há dias no rio Madeira, um dos principais rios da Amazônia. Uma grande quantidade de ouro teria sido encontrada na região. As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

A força-tarefa conta com o apoio de outros órgãos federais, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Ministério da Defesa. Não há detalhes sobre a operação. A lavra clandestina de ouro no rio Madeira é um problema conhecido do setor público. Essa mesma atividade criminosa se espalha há décadas por outros afluentes do rio Amazonas, como o rio Tapajós, na região de Itaituba. O diferencial do caso é a aglomeração de balsas numa mesma região, nas proximidades dos municípios de Autazes.

Para retirar o ouro do fundo do rio, essas embarcações utilizam longas mangueiras, que são lançadas até o leito do rio. Acionadas por geradores, elas sugam a terra e tudo o que encontram no fundo. O material revolvido é trazido até a balsa e passa por uma esteira, onde é filtrado e devolvido à água. Nesse processo, o ouro fica retido no local.

Segundo a PF, as ações causam grande dano ambiental, porque acabam com todo tipo de alimento de centenas de espécies de peixes, comprometem a qualidade da água e geram assoreamento.