5 de dezembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com 98% de apuração dos votos válidos para o próximo prefeito de Manaus, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE/AM) confirmou na noite deste domingo, 15, que haverá segundo turno das eleições para definir o próximo prefeito da capital amazonense. Disputam a vaga de gestor municipal, no próximo dia 29, Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante).

De acordo com balanço divulgado pelo TRE/AM, Amazonino conseguiu 230.738 mil votos (23,91%). Já David Almeida somou 215.644 votos (22,35%). A vaga de terceiro lugar ficou para o petista Zé Ricardo, com 137.988 (14,30%). O quarto lugar ficou para Ricardo Nicolau (PSD), com 116.562 (12,8%). Em seguida, Coronel Menezes (Patriota) conseguiu 109.325 votos (11,33%), seguido de capitão Alberto Neto, com 75.289 votos (7,80%).

Alfredo Nascimento (PL) ficou em 7º lugar com 31.225 votos (3,24%). Em 8º lugar, Romero Reis (Novo) teve 28.764 votos (2,98%), seguido Chico Preto (DC) – anulado sob júdice – com 15.911 (1,65%). Em 10º lugar, Marcelo Amil (PCdoB) conseguiu 2.794 votos (0,29%) e em 11º lugar o candidato do PSTU, Gilberto Vasconcelos, com 733 votos (0,08%).

Perfil dos candidatos

Bacharel em Direito, David Almeida tem 51 anos e iniciou sua carreira política aos 27 anos. Foi Deputado Estadual por três mandatos consecutivos, sendo eleito pela primeira vez em 2006. O segundo mandato foi em 2010 e o terceiro em 2014.

Em 2017 foi governador interino do Amazonas após a cassação de José Melo de Oliveira e seu vice pelo Tribunal Superior Eleitoral. Em maio de 2019, saiu do Partido Socialista Brasileiro e filiou-se ao Avante.

Já Amazonino Armando Mendes, de 80 anos, nasceu em Eirunepé, no interior do Estado. Em 1983, chegou pela primeira vez à Prefeitura de Manaus. Em 1986, após o término do seu mandato de prefeito, foi eleito pela primeira vez governador do Amazonas. Em 1990, o político chegou ao Senado. Dois anos após ser eleito senador, Amazonino retornou à Prefeitura de Manaus.

Em 2004, tentou candidatura à Prefeitura de Manaus, mas foi derrotado por Serafim Corrêa (PSB). Em 2006, amargou outra derrota, desta vez para o governo do Estado. Foi vencido por Eduardo Braga (MDB) ainda no primeiro turno. Em 2008, Amazonino voltou a se candidatar à Prefeitura, sendo eleito no 2º turno. Após o fim do mandato, não tentou a reeleição. Em 2017, foi eleito governador pela quarta vez, após a cassação do ex-governador José Melo.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.