AM reduz casos de internações em UTI, por Covid-19, e está fora da ‘zona de alerta’, segundo a Fiocruz

Eduardo Figueiredo – Da Revista Cenarium

MANAUS (AM) – Em nota técnica divulgada pelo Observatório Covid-19 nessa terça-feira, 15, a Fiocruz aponta que o Amazonas é um dos oito Estados que estão fora da zona de alerta em relação à ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Covid-19.

O Amazonas apresenta 54% dos leitos de UTI ocupados com pacientes com Covid-19. Os outros sete Estados, que também estão fora da zona de alerta, são: Amapá (44%), Maranhão (47%), Ceará (59%), Paraíba (59%), Minas Gerais (39%), Rio de Janeiro (52%) e Rio Grande do Sul (59%).

Mapa da taxa de ocupação de leitos de UTI (Divulgação/Fiocruz)

Segundo o boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) divulgado nesta quarta-feira, 16, em Manaus, há 179 pacientes internados, sendo 88 em leitos clínicos (14 na rede privada e 74 na rede pública), 90 em UTI (15 na rede privada e 75 na rede pública) e 1 está em sala vermelha.

A Nota Técnica destaca que os avanços na campanha de vacinação foram fundamentais para impedir números maiores e percentuais de casos críticos e graves, internações e óbitos. Porém, alertam que não se pode ignorar que riscos de reveses permanecem. “É central que se avance ainda mais na campanha de vacinação, com políticas e estratégias ativas, para que os adultos não vacinados o façam e que os que tomaram a primeira dose completem o esquema vacinal, além da necessidade de se ampliar rapidamente a cobertura vacinal para crianças”, sugere a nota.

O pesquisador da Fiocruz, Felipe Naveca, também concorda que a diminuição nos casos de internação por Covid-19 é efeito da vacina. “É o efeito da vacina, combinado a um alto número de pessoas que foram infectadas previamente. Como a Ômicron é extremamente transmissível esgota rapidamente o número de suscetíveis”, afirma o pesquisador à REVISTA CENARIUM

Fase Laranja

Nessa segunda-feira, 14, o Governo do Amazonas divulgou que o Estado retornou à fase laranja -risco moderado- de transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2) após redução de 52% na média diária de casos confirmados de Covid-19 e de 50% de hospitalizações pela doença, incluindo leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As reduções foram identificadas na análise epidemiológica do período, entre 26 de janeiro até o dia 8 de fevereiro.

A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, destaca que, mesmo com a mudança no cenário, é preciso manter os cuidados de prevenção.

“Estamos na fase moderada, também conhecida como laranja, que ainda exige a manutenção das medidas não farmacológicas. Aliadas à vacinação contra a Covid-19, essas são nossas ferramentas para frear a disseminação do novo coronavírus e podermos avançar para a fase de transição, com risco ainda mais baixo”, diz Tatyana.

Leia também: AM retorna à fase laranja após redução na média diária de casos e hospitalizações por Covid-19

Novas Medidas

O Comitê de Enfrentamento à Covid-19, do Governo do Estado, definiu, nessa terça-feira,14, novas medidas para eventos sociais e pagos. Com a redução dos indicadores de contaminação pela doença, será permitido o funcionamento de eventos respeitando até 50% da capacidade do local e limitado a mil pessoas.

O funcionamento de locais com a cobrança de ingressos incluirá estabelecimentos como casas noturnas, danceterias, salões de baile e similares. A entrada nos eventos está condicionada à apresentação de comprovante do esquema de vacinação completo, além das equipes de colaboradores de todos os espaços.

Veja a nota técnica na íntegra

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO