Cem entidades assinam pedido à PGR para suspender ‘MP da Grilagem’ no Congresso

Gabriel Caldeira / Estadão Conteúdo

Cem entidades ligadas à defesa do meio ambiente enviaram um ofício ao procurador-geral da República, Augusto Aras, pedindo que a PGR suspenda a tramitação no Congresso Nacional da medida provisória 910/2019, conhecida como “MP da grilagem” por opositores do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

A MP que trata de novas regras para a regularização fundiária no País tem sido criticada por ambientalistas, que entendem que a pauta facilita a legalização de áreas invadidas por grileiros e o desmatamento na região amazônica.

Em nota, Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), afirma que a MP 910 “estimula a ocupação ilegal e o desmatamento” em uma região da Amazônia equivalente à área de toda a região Sudeste do País. A Proam é uma das entidades que assinam o documento enviado a Aras.

“Utilizar de uma medida como essa, inconstitucional, para promover a anistia e estimular o desmatamento é um crime contra a sociedade brasileira, contra a biodiversidade, além de favorecer o aquecimento global”, completa Bocuhy.

A MP da regularização fundiária esteve entre os assuntos abordados pelo presidente Bolsonaro em seu Twitter na última semana. Numa postagem feita na quarta-feira, dia 6, o presidente pediu ao Congresso que coloque a medida em votação e não a deixe caducar. O texto, enviado pelo governo em dezembro do ano passado, perderá efeito no dia 19 de maio caso não entre na pauta das Casas legislativas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO