Comer orgânicos variados ajuda a manter a imunidade alta e previne infecções

Da Revista Cenarium

No momento em que o Amazonas enfrenta a pandemia do novo Coronavírus, atrelada às Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs), manter a alimentação para uma imunidade em alta, na regra geral, reduz as chances de adoecer. 

O nutricionista da Associação de Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas (Segeam), David Silva dos Reis, explica que vitaminas e minerais, encontrados nos vegetais, por exemplo, ajudam a balancear o metabolismo e a manter as defesas ativas

“Alimentar-se bem é uma das mais importantes ações para manter o corpo funcionando em seu perfeito estado. E neste momento, é importante escolher bem os alimentos para prevenir futuras deficiências nutricionais e proteger o organismo das doenças infecciosas, mantendo a imunidade alta”, recomendou.

Reis pontua que um cardápio saudável também ajuda no bom funcionamento do intestino, desde que haja um consumo regular de fibras,  vegetais, entre outros. O ideal é manter uma alimentação variada, composta por alimentos naturais, como frutas, verduras, legumes e cereais/fibras; não esquecendo do consumo regular de água (dois litros ao dia).

Orgânico é sinônimo de saúde

Outra dica importante é evitar alimentos industrializados (enlatados e embutidos, por exemplo), que além de prejudicarem o organismo, também tem o consumo a longo prazo associado às doenças cardiovasculares, obesidade e câncer, já que são ricos em gordura e sódio, geralmente.

“Alertamos também para o consumo de fast foods, que no período de distanciamento social, acaba sendo uma opção para as pessoas que estão em casa, mas que em grande quantidade, pode ser prejudicial à saúde, em função, principalmente, da adição de conservantes e excesso de gorduras ruins para o corpo”, frisou Reis, que é especialista em Fitoterápicos, Suplementos Nutricionais e Gerontologia e Saúde do Idoso.

No caso dos carboidratos, ele explica que são produtos responsáveis pela geração de energia no corpo, pois são transformados em açúcar. Sendo assim, o consumo de pães, massas, arroz, batatas e derivados, entre outros,  deve ocorrer de forma moderada e sem exageros, evitando a exclusão total desses itens da dieta. Pacientes diabéticos, por exemplo, devem preferir os integrais.

“Uma das combinações de maior preferência entre os brasileiros é a do arroz com o feijão, mistura rica em aminoácidos e algumas vitaminas e minerais. Mas, é preciso controlar o consumo de carboidratos. O recomendado é de 5 a 9 porções ao dia, pois podem ser facilmente convertidos em ácidos graxos”, que em excesso, são prejudiciais.

Já as proteínas ajudam na construção dos músculos, ossos e na produção de enzimas. O consumo moderado, de até cinco porções pequenas ao dia, é o ideal. O nutricionista explica que é importante dar preferência, nesses casos, às carnes magras, como frango peixes e afins. O ovo também é uma opção, desde que não haja exagero. “A palavra-chave na nutrição é equilíbrio”, completou.

Um passo a passo pode ser feito a partir das orientações de Reis na hora de montar o prato:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO