Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – O vereador de Manaus, Amom Mandel (Podemos), foi até as garagens do transporte coletivo em Manaus nesta sexta-feira, 9, para verificar a saída dos ônibus das estações e constatou às 5h40 a retenção nas estações. A visita se deu para verificar o remanejamento de rotas após o encerramento das atividades da Açaí Transportes, responsável por 11 linhas na capital amazonense.

A empresa de transporte coletivo fechou os portões nessa quinta-feira, 8, em Manaus e deixou a população prejudicada e também funcionários sem explicações. De acordo com o vereador, a falta de esclarecimentos pode acarretar em uma ação judicial. “A empresa e o IMMU [Instituto Municipal de Mobilidade Urbana] não informaram a população até agora e isso pode incorrer numa ação de danos morais coletivos”, disse Amom.

Mandel disse ainda que a equipe se direcionou à garagem da Açaí nesta manhã e muitos trabalhadores aguardavam na entrada à espera de um posicionamento. “A gente também foi na garagem da Açaí. Lá nós encontramos um grupo grande de trabalhadores que estava esperando o sindicato e a principal reclamação deles foi que nem a prefeitura nem a empresa se manifestaram quanto à situação deles, ninguém soltou uma nota sequer”, pontuou o vereador.

Também, foi constatado que, nos pontos de ônibus da capital amazonense, nos locais onde as linhas da Açaí atendiam, os ônibus chegavam. O vereador suspeita que outros pontos foram prejudicados para atender essas paradas. “Possivelmente, desviaram ônibus de outros lugares para cobrirem as rotas da Açaí”, disse ele.

Garagem da Açaí Transportes foi visitada na manhã desta sexta-feira, 9 (Reprodução/Assessoria)

Global Green

Outra empresa de transporte público visitada foi a da empresa Global Gleen. No local foi verificado que os ônibus ainda estavam todos na garagem.

“Novamente nós fomos à Global Green e lá nós pegamos, após o horário de saída dos ônibus, nós aguardamos até o final e a garagem ainda estava praticamente cheia. Os ônibus saindo muito lentamente, atrasados, portanto. Provavelmente, chegariam atrasados ou teriam que exceder a velocidade para chegar no horário”, disse Amom.

O vereador Amom Mandel (Podemos) visitou a garagem da Global Green (Reprodução/Assessoria)

Prefeitura de Manaus

O fechamento da empresa já era de conhecimento da Prefeitura de Manaus, segundo informação do prefeito David Almeida (Avante). Em entrevista nessa quinta-feira a um veículo de comunicação em Manaus, Almeida afirmou que “a operação da empresa Açaí está sendo adquirida por outra empresa”.

“A operação da empresa Açaí está sendo adquirida por outra empresa, com os direitos trabalhistas dos servidores preservados, e toda empresa que não estiver prestando um serviço de qualidade, nós vamos fazer isso, a incorporação, nós vamos vender a operação, vamos trocar a operação”, disse Almeida.

De acordo com o Executivo Municipal, a prefeitura, por meio do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), informa que tomou medidas para não prejudicar os usuários de transporte coletivo no momento em que foi informada da paralisação dos rodoviários e da empresa Viação Açaí. Já as questões contratuais estão sendo tratadas com a Procuradoria-Geral do Município (PGM), para que todas as providências cabíveis sejam tomadas.