Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
3 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – Parlamentar de oposição ao governo do Amazonas que criticou o decreto estadual do governador Wilson Lima (PSC) para conter o novo coronavírus em Manaus, deputado estadual Delegado Péricles (PSL), participou ativamente nas eleições municipais deste ano para tentar eleger o irmão dele, Coronel Rosses (PRTB), que foi derrotado no pleito. Hoje, Rosses está com parte do pulmão comprometido por conta do vírus.

O deputado e o coronel da Polícia Militar (PM) organizaram grandes aglomerações no mês passado para cumprir agendas eleitorais. Na maioria das vezes, não cumpriam as precauções sugeridas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como apontam imagens em redes sociais.

Nesta segunda-feira, 28, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) cogitou retornar as câmaras frigoríficas para os hospitais em virtude do aumento de mortes pela infecção do novo vírus, causador da Covid-19.

Há cinco dias, Péricles postou em seu instagram um vídeo gravado pelo apresentador de TV, Siqueira Júnior, no qual ele critica o decreto estadual do governo do Amazonas, que restringe o funcionamento do comércio para prevenir novas infecções da Covid-19. A doença registra uma média de mais de 200 casos por dia no Amazonas.

“Sobre o decreto do governo do Estado vai gerar mais desempregos e dificuldades para a população. Uma gestão que após um ano inteiro de problemas mostra que pouco ou nada aprendeu”, declarou o parlamentar sem apresentar soluções efetivas para a contenção da doença.

Reprodução/Instagram

Infecção pelo vírus

Procurado pela reportagem, Coronel Rosses informou que não se infectou durante o período eleitoral e que tomou todos os cuidados possíveis para evitar a contaminação pelo vírus, mas mesmo assim se infectou.

“Eu ainda estou infectado. Meu pulmão está comprometido e estou lutando contra a doença. Acredito que fui infectado há 12 ou 15 dias. Durante a campanha, permaneci respeitando todos os protocolos de segurança, eu e minha equipe”, disse Rosses.

Prevenção necessária

O doutorando do programa de pós-graduação em biologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Lucas Ferrante, informou, em entrevista à REVISTA CENARIUM, que é importante que as pessoas adotem medidas necessárias.

“A gente observou vários políticos falando o contrário, baseiem-se em pseudoestudos, em teorias absurdas, sem base nenhuma biológica e hoje a gente vê um cenário no Amazonas que é complicado”, disse o estudioso.

Ele disse ainda que se tivesse feito um isolamento social adequado antes, como recomendado pelo artigo publicado Nature Medicina que eu coordenei, por meio do isolamento social rígido, hoje Manaus poderia está sendo aberta”, explicou.

Acima da média

Segundo um estudo divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o número efetivo de reprodução do novo coronavírus no Amazonas (fator Rt) chegou a 1.04, no último dia 25 de dezembro – superior à média brasileira, de 1.03.

Medido pela Loft Science, o dado aponta que cada 100 pessoas no Estado têm capacidade para transmitir para outras 104. Há um mês, a estimativa era de 0,99. O aumento foi de 5% nesse curto período de tempo.

Em resposta às aglomerações e ao desrespeito por parte da população às orientações de prevenção à Covid-19, o governador Wilson Lima anunciou uma série de medidas de enfrentamento à pandemia, como o endurecimento das fiscalizações a festas clandestinas, bares, restaurantes e espaços públicos, ações formalizadas em decreto estadual.

Outro lado

Procurado pela reportagem, deputado Péricles informou que durante a campanha eleitoral tomou todas as medidas de prevenção contra Covid-19, junto com seu irmão, e que acredita que todos os cuidados necessários devem ser tomados neste momento no sentido de dar fim à propagação do vírus.

Péricles rebateu que tenha participado de campanha política sem uso de máscara ou distanciamento. “Tanto foram adotadas medidas que nenhum dos voluntários que ali estiveram atuando pela eleição do Rosses testaram positivo no período e nem logo após ele”, explicou.

E continuou: “Defendi, inclusive, o adiamento das eleições por conta da pandemia. Entramos na campanha totalmente conscientes e cumprindo todas as recomendações necessárias para resguardar a todos”, concluiu o deputado.